Holanda

Cillessen – 6

Foi seguro durante a partida, mas só teve uma defesa difícil, em cobrança de falta de Messi. Não pode ser condenado (e não teve sua nota descontada por isso) por não defender pênaltis, mas ficou nítido que não é muito sua praia.

Kuyt – 6,5

Mostrou muita disposição tática, mas foi melhor fechando os espaços atrás do que tentando ajudar o ataque.

Vlaar – 7,5

Um dos melhores em campo. Um leão na defesa, que não merecia ter sido um dos que perderam pênalti pela Holanda.

De Vrij – 6,5

Seguro, sólido. Não se destacou tanto quanto Vlaar, mas também foi uma figura importante na defesa holandesa.

Martins Indi – 6

Fazia uma boa partida, mas saiu no intervalo e não pôde ser mais decisivo.

(Janmaat – 6,5)

Entrou bem na partida, inclusive com algumas aparições interessantes no ataque.

Wijnaldum – 6,5

Técnico e bom no passe, foi importante como válvula de escape quando a Argentina adiantava a marcação.

De Jong – 7

Muito bem na marcação de Messi. Não deu espaço ao craque, mas saiu por não estar na sua melhor condição física.

(Clasie – 6,5)

Não foi tão forte na marcação quanto De Jong, mas deu mais toque de bola ao meio-campo holandês e foi importante a ajudar sua equipe a dominar o jogo no final do tempo normal.

Sneijder – 5,5

Centralizou muitas jogadas holandesas, mas não estava em um dia inspirado e acabou não criando grandes situações.

Robben – 6,5

Chamou muito o jogo, tentou, se esforçou, mas a marcação era muito forte. Sentiu falta de algum companheiro para lhe desafogar.

Van Persie – 4

Muito mal, pior jogo na Copa. Apagado, não serviu como referência útil para as jogadas ofensivas da Holanda.

(Huntelaar – 5)

Apareceu melhor que Van Persie, mas também não foi brilhante.

Argentina

Romero – 7,5

Foi uma figura nula na partida, sobretudo pelo fato de que a bola não chegou às suas mãos durante 120 minutos. Mas decidiu o duelo ao pegar dois pênaltis, e esse fato é determinante para avaliar sua noite.

Zabaleta – 6

Não apareceu tanto na frente, priorizando a segurança defensiva em um jogo muito marcado.

Demichelis – 7

Muita gente tem restrição com o futebol de Demichelis, mas ele foi muito atento e seguro na defesa.

Garay – 6,5

Bem pelo alto e importante para anular Van Persie.

Rojo – 6,5

Jogador de defesa que mais se aventurou na frente, mas não deixou espaços para Robben quando a bola caiu para seu lado.

Mascherano – 8

O gerente do meio-campo. Dominou o setor, com liderança posicionamento e garra.

Biglia – 6,5

Discreto, não deu tanta saída de bola à Argentina. Mas foi bem nas funções defensivas.

Pérez – 6

Tímido, fez seu papel na marcação, mas deixou o meio-campo argentino mais preso.

(Palacio – 5)

Entrou para dar mais força ofensiva no final do jogo, não conseguiu aproveitar o cansaço holandês para se destacar.

Messi – 5

Sua pior partida na Copa. Foi muito marcado, é verdade, mas errou mesmo quando teve espaço para criar algo.

Higuaín – 5

Apagado, não criou problemas para a defesa holandesa.

(Agüero – 5,5)

Também esteve mal, mas tem o crédito por estar voltando de lesão e de ter se movimentado mais que Higuaín para buscar o jogo.

Lavezzi – 5,5

Esforçou-se bastante, mas faltou mais inspiração para vencer a marcação holandesa.

(Maxi Rodríguez – 6,5)

Entrou para equilibrar o meio-campo na prorrogação, quando a Holanda ameaçava um domínio. Teve sucesso.

Árbitro

Cuneyt Çakir (Turquia) – 6,5

Cometeu errinhos em lances menores, mas merece crédito por segurar bem um jogo tenso, muito marcado e disputado com gramado molhado.