O impedimento era clamoroso. Samir Nasri estava cerca de um metro à frente da linha de defesa e tinha o caminho livre para marcar o segundo gol do Manchester City, que deixaria o time em vantagem no placar contra o Southampton, na goleada por 4 a 1. Vinha seguido de um pênalti bastante contestável em Edin Dzeko, que claramente forçou a situação, em cobrança convertida por Yaya Touré. Uma vitória polêmica dos Citizens, que, ainda assim, tinham tudo para buscar mais uma vitória no Estádio Etihad. E mais uma ótima partida de David Silva, retomando o protagonismo da equipe ao lado de Yaya Touré.

O passe para o polêmico gol de Nasri foi de David Silva. Lógico que a posição irregular facilitou o seu trabalho (assista ao vídeo abaixo). Mas não dá para menosprezar a atuação do espanhol só por isso. Embora tenha saído de campo aos 30 minutos do segundo tempo, o meia foi o melhor em campo. Criou seis chances de gol para a sua equipe, ainda que nas outras cinco ninguém tenha aproveitado. Ditou o ritmo, abriu os espaços, orquestrou seu ataque.

O ápice de David Silva aconteceu na primeira metade da campanha do título de 2011/12. O armador foi, com sobras, o melhor jogador do City no início arrasador do time, mas perdeu fôlego no segundo turno e viu Yaya Touré assumir o papel decisivo. Depois disso, seguiu bem, mas não tão brilhante. Um alto nível que o espanhol parece ter voltado a atingir nas últimas semanas. Touré continua como o protagonista absoluto. Mas com uma ajuda valiosa de Silva, que vem em crescente nesta reta final da Premier League. O meia é o jogador com maior média de passes para finalização na liga, 3,6 por jogo, e o quarto com mais assistências.

A visão de jogo de David Silva será importante para a sequência de jogos dos Citizens, vice-líderes do Campeonato Inglês, mas com um jogo a menos que a concorrência. Na próxima rodada, a equipe terá uma verdadeira decisão, quando visita Anfield para encarar o líder Liverpool. Uma vitória deixará o time de Manuel Pellegrini no topo. E contra um adversário que costuma deixar tantas brechas na defesa, sobretudo no jogo aéreo, o espanhol terá a chance de dar sua maior contribuição a uma possível arrancada para o título.