A seleção espanhola está definida para a Copa do Mundo de 2014. Depois da vitória por 2 a 0 sobre a Bolívia, em amistoso na última sexta-feira, o técnico Vicente Del Bosque reduziu a lista de pré-convocados para 23 jogadores e solucionou o principal mistério que envolvia a atual campeã do mundo: os atacantes serão Fernando Torres, David Villa e Diego Costa. A definição de Del Bosque, porém, levanta mais dúvidas do que responde perguntas. Porque nenhum dos três terminou a temporada em grande fase, física ou técnica, e há um enorme ponto de interrogação a respeito do que eles podem apresentar no torneio do Brasil.

Leia mais: Diego Costa estreou bem quando Espanha e Itália resolveram não jogar nada

O melhor atacante espanhol na temporada foi o naturalizado Diego Costa, de longe. Fez 36 gols em 51 jogos. Peça fundamental no título espanhol e no vice europeu do Atlético de Madrid. Só que desde os primeiros meses de 2014, vem sofrendo com lesões. Começou a final da Liga dos Campeões, mas não aguentou dez minutos. O próprio Del Bosque questionou suas condições físicas e sabe que precisaria mudar um pouco o estilo da equipe para encaixá-lo, mas não poderia ignorar a fase do brasileiro.

Por outro lado, ignorou solenemente a de Fernando Torres, autor de cinco gols em 28 jogos de Campeonato Inglês, apenas 11 no total pelo Chelsea. José Mourinho não parou de criticar os seus atacantes e certamente vai em busca de um novo camisa 9 na janela de transferências. O que Torres tem de diferente em relação aos outros é a experiência de 107 partidas pela seleção e gols decisivos, como contra a Alemanha, na final da Eurocopa de 2008.

Também por experiência, mas nem tanto, entrou David Villa. O maior artilheiro da história da Espanha não tem grandes problemas físicos, embora já tenha sido abandonado por aquela explosão que o ajudou tanto com a camisa do Barcelona. Correu enquanto teve pernas na decisão da Champions League e fez uma ótima partida. O faro de gols não é mais o mesmo. A torcida do Atlético de Madrid levou as mãos à cabeça várias vezes com chances desperdiçadas por ele ao longo da temporada e comemorou apenas 13 vezes no Campeonato Espanhol.

Talvez fosse mais seguro inserir Fernando Llorente ou Álvaro Negredo no trio de atacantes. Llorente também não tem a característica de se movimentar e trocar passes, mas terminou a temporada fazendo gol pela Juventus. Foram cinco nas últimas sete rodadas da Serie A. Negredo foi sendo deixado de lado depois de um bom começo de carreira no Manchester City. Fez nove gols na Premier League, o último deles na 21ª das 38 rodadas.

A verdade é que nenhuma das cinco opções de Del Bosque passa muita confiança. A artilharia da esquadra espanhola sofre com problemas físicos, de idade, de confiança ou mesmo tem jogadores que nunca brilharam vestidos com o vermelho do time que foi campeão mundial com o pior ataque da história. Com esses centroavantes, isso pode mudar em 2014?

Veja os 23 convocados:

Goleiros: Iker Casillas (Real Madrid), Pepe Reina (Napoli-ITA) e David de Gea (Manchester United-ING)
Laterais: Juanfran (Atlético de Madrid), Jordi Alba (Barcelona), Cesar Azpilicueta (Chelsea-ING)
Zagueiros: Sergio Ramos (Real Madrid), Gerard Piqué (Barcelona), Raúl Albiol (Napoli-ITA)
Meias: Javi Martínez (Bayern de Munique-ALE), Sergio Busquets (Barcelona), Xabi Alonso (Real Madrid), Xavi (Barcelona), Iniesta (Barcelona), David Silva (Manchester City-ING), Santi Cazorla (Arsenal-ING), Koke (Atlético de Madrid), Juan Manta (Manchester United-ING) e Cesc Fàbregas (Barcelona)
Atacantes: Pedro (Barcelona), Diego Costa (Atlético de Madrid), David Villa (Atlético de Madrid) e Fernando Torres (Chelsea-ING)

Você também pode se interessar por:

>>>> Antes de tudo, a Espanha precisa entender que tem, sim, um problema sério de racismo

>>>> Pré-convocação da Espanha não resolve uma dúvida: quem serão os atacantes?

>>>> Será difícil reconhecer a seleção espanhola com essa camisa