Depois da rodada passada, ao abrir quatro pontos de vantagem para o Napoli, a Juventus pareceu entrar na rota do sétimo título italiano, para muitos. Neste sábado, na 36ª rodada da Serie A, o Bologna até assustou em Turim, ao sair na frente do placar. Mas a Velha Senhora mostrou porque seu elenco é mais confiável: impassível, virou para 3 a 1 no segundo tempo e foi a 91 pontos. Agora, na pior das hipóteses, seguirá quatro pontos à frente dos napolitanos. Na melhor, pode comemorar o heptacampeonato neste domingo, caso os Partenopei não vençam o Torino, em casa.

No momento inicial da partida no Allianz Stadium, a Juve impôs a superioridade, mas parou em um obstáculo. Aos sete minutos, de primeira, Claudio Marchisio lançou a bola para Gonzalo Higuaín. O argentino entrou na área e chutou, mas o goleiro Antonio Mirante tirou por cima do gol, com os pés. Aos 19, Paulo Dybala cobrou falta, e Alex Sandro desviou de cabeça. Mirante estava atento: outra vez, evitou o gol, ao pular para rebater no canto esquerdo

Porém, os Rossoblù surpreenderam a parte alvinegra de Turim aos 27 minutos. Por causa de um raro erro de Gianluigi Buffon: a saída de bola do camisa 1 foi curta demais, e Daniele Rugani demorou para reagir. Quando o fez, Lorenzo Crisetig já havia passado à frente na área, e só restou a Rugani derrubá-lo. Pênalti marcado pelo juiz Massimiliano Irrati – que manteve a decisão após verificar o terminal de vídeo, e Simone Verdi converteu, deslocando Buffon para fazer 1 a 0.

Meio atordoada, a equipe bianconera só reapareceu no ataque mais uma vez, no resto de primeiro tempo que teve. Aos 39 minutos, Juan Cuadrado cruzou, e Higuaín cabeceou após cruzamento, mas a bola foi fraca, e Mirante pegou. Nada como um intervalo para acalmá-la. Porque, pouco depois da volta dos vestiários, veio o empate – num lance fortuito: aos seis minutos, Cuadrado mandou a bola para a área, da direita, e Sebastien De Maio tentou afastar. Acabou cometendo gol contra, no 1 a 1 para os Bianconeri.

Então, o jogo ficou equilibrado. Um minuto após empatar, quase veio a virada, na principal válvula de escape juventina na etapa complementar: os avanços de Douglas Costa pela esquerda – o brasileiro cruzou, e Cuadrado, de carrinho mas sem ângulo, desviou para fora com o gol vazio. Aos 14, o Bologna deu o último susto: após falha de Andrea Barzagli, Emil Krafth ficou livre na direita – mas o chute do sueco mandou a bola na trave.

Era necessário aproveitar chances. E a Juve as aproveitou, como normalmente se espera. Aos 18 minutos, um cruzamento alto de Douglas Costa, que superou Mirante e encontrou Sami Khedira, livre para completar e virar o jogo. Mais três minutos, mais um cruzamento de Douglas Costa, e Dybala apareceu se antecipando para desviar rumo ao 3 a 1 que mantém a cômoda situação da hexacampeã italiana. O Napoli que faça o que pode fazer, neste domingo, contra o Torino.