Em um jogo que se esperava pouco, a Suécia conseguiu uma vitória magra, mas importante contra a Coreia do Sul. O placar de 1 a 0 foi merecido, diante de um adversário que mostrou muitas limitações para competir em um nível mais alto. Os suecos tiveram força, criaram chances e poderiam até ter feito mais gols. Nem foi preciso. O time nórdico foi quem mais buscou o jogo, teve mais posse de bola e criou mais chances. A vitória é importante pensando na classificação. Com a Alemanha perdendo do México na primeira rodada, a Suécia precisava de uma vitória diante da Coreia do Sul para sonhar com classificação. E conseguiu se colocar em uma boa colocação, ainda mais pensando no próximo jogo, contra a Alemanha.

LEIA TAMBÉM: Contos Russos #05 | A memória que nos contam

Bom início sul-coreano

A Coreia do Sul teve um bom início de jogo, atacando com velocidade a Suécia, especialmente com o seu principal jogador, Son Heung-Min. Foram muitas descidas ao ataque em velocidade, explorando os lados do campo e fazendo a Suécia ter que mostrar seus bons argumentos defensivos. Deu a impressão de uma surpresa para os suecos nos primeiros minutos pela postura agressiva dos sul-coreanos.

Imposição física

Com o passar dos primeiros minutos que a Coreia do Sul foi melhor, a Suécia passou a melhorar no jogo, especialmente porque o time, fisicamente muito forte, passou a se impor nesse sentido. Os suecos começaram a usar bolas aéreas para tentar superar a defesa e começaram a criar chances ao chegar ao ataque.

O goleiro sul-coreano fez uma grande defesa aos 19 minutos. Depois de uma bola que sobrou na área, Berg, livre, teve a chance. Chutou de pé esquerdo, mas o goleiro sul-coreano defendeu. Foi só a primeira. A Suécia teve muitos chutes a gol, muitas boas chances de marcar.

Pênalti bem marcado pelo VAR

Aos 18 minutos do segundo tempo, Claesson chegou antes do zagueiro sul-coreano, tocou a bola e foi derrubado. O árbitro Joel Aguilar mandou o lance seguir. A Coreia tentou o contra-ataque, com muitos suecos reclamando do lance.

O árbitro parou o jogo e foi revisar a jogada, possivelmente avisado pelos assistentes de vídeo. O próprio árbitro revisou o lance e, depois de ver que houve a falta dentro da área, apontou a marca do pênalti. Granqvist, zagueiro e capitão sueco, cobrou e marcou 1 a 0.

Barreira

A Suécia chutou mais a gol ao longo da partida, mas muitas vezes parou na marcação sul-coreana. Foram 15 chutes, sendo seis deles bloqueados, outros cinco para fora e apenas quatro acertaram o alvo. Um número alto de chutes bloqueados, proporcionalmente.

Do outro lado, essa proporção foi enorme. A Coreia do Sul chutou cinco vezes, com três deles bloqueados. Foram realmente poucas chances claras de gol dos coreanos, quase sempre em cruzamentos.

Próximos jogos

A Suécia tem como próximo desafio a Alemanha e pode jogar em uma situação muito confortável. Como o time tem por característica a defesa, poderá se fechar contra os alemães, que não pontuaram na primeira rodada. O jogo será no sábado, 23, às 15h (horário de Brasília).

A Coreia do Sul enfrenta o México no mesmo dia 23, sábado, o México. O jogo será ao meio-dia, horário de Brasília.

FICHA TÉCNICA

Suécia x Coreia do Sul

Local: Estádio Nizhny Novgorod, Nizhny Novgorod (RUS)
Árbitro: Joel Aguilar (SLV)
Gols: Andreas Granqvist aos 20’/2T (Suécia)
Cartões amarelos: Viktor Claesson (Suécia), Kim Shin-Wook, Hwang Hee-Chan (Coreia do Sul)

Suécia

Robin Olsen; Mikael Lustig, Pontus Jansson, Andreas Granqvist e Ludwig Augustinsson; Viktor Claesson, Sebastian Larsson (Gustav Svensson aos36’/2T), Albin Ekdal (Oscar Hijemark aos 26’/2T) e Emil Forsberg; Marcus Berg e Ola Toivonen (Isaac Thelin aos 31’/2T). Técnico: Jan Olof Andersson

Coreia do Sul

Cho Hyun-Woo; Lee Young, Jang Hyun-Soo, Kim Young-Gwon e Park Joo-Ho (Kim Min-Woo aos 28’/1T); Lee Jae-Sung, Ki Sung-yueng e Koo Ja-Cheol (Lee Seung-Woo aos28’/2T); Hwang Hee-Chan, Kim Shin-Wook (JungWoo-Young aos 21’/2T) e Son Heung-Min. Técnico: Tae-Young Shin