Conseguir uma franquia em uma liga americana, independente do esporte, exige esforços não apenas dos clubes, mas também do governo local e sociedade para aceitarem os custos dos investimentos em infraestrutura e no possível novo estádio. A novidade na MLS, porém, tem sido o uso de figuras importantes no futebol para atrair investimentos privados e, assim, conseguir a vaga na principal liga do soccer.

LEIA TAMBÉM: Quando a MLS encontra a MLB: Schweini, pelos Cubs, e Villa, pelos Yankees, fazem arremesso cerimonial

Não é fácil conseguir 150 milhões de dólares, a quantia pedida pela Major League Soccer para aceitar uma nova franquia na liga. Por isso, todo e qualquer esforço tem sido considerado valioso para as cidades que almejam ter um clube utilizando seu nome.

Começou com David Beckham, uma das figuras mais importantes da MLS, que anunciou uma franquia para Miami nos próximos anos. A ideia ainda não saiu do papel, como citamos aqui anteriormente, mas especulações envolvendo nomes de milionários nunca faltam. Mesmo se tratando de uma cidade com muitos latinos, ainda não atingiu a importância necessária, tanto que perdeu anos atrás o Miami Fusion, clube que atuava na principal liga americana de futebol. O projeto parece estar subindo no telhado mesmo com a presença do ex-jogador do LA Galaxy.

Outro ex-Galaxy que está envolvido em trazer uma liga para um novo mercado é Landon Donovan. Maior artilheiro da MLS, o americano se aposentou em 2014, após não ter conseguido uma vaga na Copa do Mundo e de ter conquistado a MLS Cup uma última vez. Fora dos gramados, seus esforços estão focados em ajudar San Diego a ter uma franquia na Major League Soccer como se isso fosse compensar, de alguma forma, a saída dos Chargers (NFL) que rumou para Los Angeles.

O problema de Donovan é que a região já tem dois clubes, o LA Galaxy e o San Jose Earthquakes, além do já consolidado Sacramento Republic em uma divisão menor, mas também buscando uma vaguinha na MLS.

A missão de Donovan já era ingrata, com muita concorrência, e ganhou um novo rival direto: Didier Drogba. O jogador que já atuou pelo Montreal Impact, e não causou tanto impacto assim, anunciou sua ida para o Phoenix Rising para jogar por dois anos e depois assumir parte dos direitos do clube que está na NASL. O Rising é uma das franquias que está de olho no anúncio da nova franquia que acontecerá ainda este ano.

Diferente do que fez quando se juntou a outros clubes, Drogba levou sua família pra Phoenix, mostrando que está disposto a ficar no país mesmo depois de aposentado, com o projeto dando certo ou não.

Em meio a novos clubes se saindo bem na MLS, a chegada de uma franquia comandada por um ex-jogador, com experiência e vivência de campo, pode ser uma boa na MLS. Eles só não esperavam tanta dificuldade para voltarem à liga, com certeza.