Presente na Copa do Mundo de 2010, a Sérvia atravessou um ciclo de vexames a partir de então. Ficou atrás da Estônia nas eliminatórias da Euro 2012, perdeu na queda de braço com a Croácia por um lugar na repescagem da Copa de 2014 e fez uma campanha patética no caminho para a Euro 2016, na vice-lanterna de sua chave. Não à toa, as perspectivas não pareciam muito boas para as Eliminatórias da Copa de 2018, ainda mais em uma chave com três adversários que estiveram na Eurocopa – Gales, Irlanda e Áustria. Pois quando poucos esperavam algo dos sérvios, eles nadam de braçada. E a vitória por 1 a 0 sobre os irlandeses nesta terça, em Dublin, valeu um lugar ao menos na repescagem.

Treinada por Slavoljub Muslin, a Sérvia não possui uma defesa tão tarimbada quanto em outros anos. Branislav Ivanovic e Aleksandr Kolarov permanecem como referências no setor, mas sem a boa forma de outros tempos. Por isso mesmo, os sérvios adotam um esquema mais ofensivo, baseado principalmente no 3-4-3. E o ataque vai rendendo bem na campanha, com média de mais de dois gols por partida. Aleksandar Mitrovic e Dusan Tadic são as principais referências, em time que ainda conta com a estrela de Nemanja Matic no meio-campo.

Nesta terça, a missão da Sérvia era complicada. Visitava a Irlanda em Dublin, correndo o risco de ser ultrapassada na tabela com uma derrota para os anfitriões. Por isso mesmo, os visitantes não deram mole e conseguiram a vitória simples. O gol decisivo aconteceu aos 10 minutos do segundo tempo, em chute potente de Kolarov, que tocou no travessão antes de entrar. Além disso, os sérvios precisaram se segurar com um a menos por cerca de 25 minutos, após a expulsão de Nemanja Maksimović. Apesar da pressão dos irlandeses, mantiveram o resultado positivo.

O triunfo deixa a Sérvia com 18 pontos e em uma situação bastante confortável rumo à Copa do Mundo. A equipe precisa apenas de uma vitória nas duas rodadas finais, contra Áustria ou Geórgia, para carimbar o passaporte. Já a vaga na repescagem deve ficar com Gales ou Irlanda. Os galeses, que venceram a Moldávia por 2 a 0, somam 14 pontos, um a mais que os irlandeses. A rodada final deve guardar uma verdadeira decisão, com os dois times se cruzando em Cardiff. Por fim, os austríacos correm por fora, com nove pontos. O empate em Viena com os georgianos nesta terça, por 1 a 1, praticamente selou o fim do sonho.