Esqueça os melhores tempos de Sandro Mazzola contra Gianni Rivera, Van Basten contra Klinsmann, Shevchenko contra Vieri. Internazionale e Milan vivem um período de mudanças, em que a fonte do dinheiro secou e a transição política acontece com força em ambos os lados. Ainda há alguns craques, mas o brilho do passado está longe de ser o mesmo. Independente disso, sempre dá para esperar um bom jogo entre os dois rivais de Milão. E quem assistiu à partida do San Siro neste domingo dificilmente se arrependeu.

Foi uma partida franca entre interistas e milanistas, em que a vitória poderia ficar com qualquer um dos dois lados. Os rossoneri tiveram seu melhor momento no primeiro tempo, com várias ocasiões de gol. Não aproveitaram e acabaram pagando caro quando a Inter partiu para a pressão. De letra, Rodrigo Palacio anotou o gol do triunfo por 1 a 0, fundamental para o time recuperar o fôlego na Serie A. Depois de quatro rodadas sem vencer, sendo três empates, os nerazzurri voltam a ganhar três pontos e seguem na quinta posição, colados na Fiorentina e tentando alcançar o Napoli por uma vaga na Champions.

Como não é novidade para a torcida, o Milan teve volume de jogo no ataque, em boas combinações de Kaká e Mario Balotelli. O problema desta vez foi passar por Samir Handanovic. O goleiro da Inter realizou defesas importantes e, quando falhou, Andrea Poli perdeu a chance com o gol escancarado. Uma superioridade que durou somente no primeiro tempo, até os rivais equilibrarem a situação na volta do intervalo e buscarem a vitória no fim.

Palacio e Nagatomo foram fundamentais para o desempenho ofensivo da equipe de Walter Mazzarri. Porém, quem fez ainda mais diferença foi Freddy Guarín. O colombiano é o motor dos interistas, com pegada na marcação e potência nas chegadas ao ataque. E essa polivalência ajudou bastante na construção da vitória, com sua participação direta no gol. Méritos também para as alterações feitas por Mazzarri, que surtiram efeito favorável.

Depois do desastre vivido em 2013/14, a Inter caminha para tentar brigar de novo pela Liga dos Campeões. Ainda falta um bocado. Mesmo assim, o clube está bem mais próximo da estabilidade que seus rivais. Na 13ª colocação, o Milan não vence há três rodadas e aparece a apenas cinco pontos acima da zona de rebaixamento. Uma vitória no clássico serviria para levantar a cabeça antes da pausa de inverno. Agora, é o momento de botar a mão na massa ainda mais para tentar ter o mínimo de esperança para a metade final da temporada.

Destaque do jogo

Rodrigo Palacio. Não apenas pelo gol, mas pela participação no crescimento da Inter no final do jogo. A equipe passou a ser mais perigosa quando o atacante começou a chamar a responsabilidade. A movimentação do atacante foi essencial para abrir espaços para os jogadores do meio-campo. Além disso, só não tinha balançado as redes antes porque parou em grande defesa de Abbiati.

Momento chave

O gol pedido por Andrea Poli. O meio-campista estava na pequena área, sem ter nem goleiro pela frente, mas isolou. Foi o melhor lance do bom primeiro tempo feito pelo Milan no clássico.

Os gols

41’/2T – GOL DA INTERNAZIONALE! Jogada de Guarín pela ponta direita. O colombiano faz o passe na lateral e Palacio desvia de letra, sem tempo de reação para Abbiati.

Curiosidade

O Milan não vence o dérbi desde abril de 2011. Desde então, são duas vitórias da Inter e três empates.

Ficha técnica

INTERNAZIONALE 1X0 MILAN

Internazionale Escudo Internazionale
Samir Handanovic, Hugo Campagnaro, Rolando e Juan Jesus; Jonathan, Javier Zanetti (Zdravko Kuzmanovic, 23’/2T), Esteban Cambiasso (Mauro Icardi, 37’/2T), Saphir Taider (Mateo Kovacic, 12’/2T) e Yuto Nagatomo; Freddy Guarín; Rodrigo Palacio. Técnico: Walter Mazzarri.
Milan_escudo Milan
Christian Abbiati, Mattia De Sciglio, Christian Zapata, Daniele Bonera e Kevin Constant (Urby Emanuelson, intervalo); Nigel De Jong, Sulley Muntari e Andrea Poli (Giampaolo Pazzini, 43’/2T); Kaká e Riccardo Saponara (Alessandro Matri, 31’/2T); Mario Balotelli. Técnico: Massimiliano Allegri.
Local: Estádio San Siro, em Milão
Árbitro: Paolo Mazzoleni (ITA)
Gols: Palacio, 41′/2T
Cartões amarelos: Rolando, Campagnaro, Juan e Guarín (Inter); Constant, De Sciglio, De Jong, Balotelli (Milan)
Cartões vermelhos: Sulley Muntari (Milan)