Após a Real Sociedad bater o Barcelona, o Real Madrid viu sua rodada dos sonhos se concretizar com a derrota por 3 a 0 do Atlético de Madrid para o Osasuna. Pela primeira vez na temporada, os merengues assumiram isoladamente a ponta de La Liga. Um número interessante suscita uma análise pertinente e até mesmo previsível. Dos últimos 21 pontos disputados no Espanhol, o Real conseguiu 19, enquanto Barça e Atleti, apenas 11. Se no caso dos catalães o desempenho abaixo do esperado não levanta tantos questionamentos quanto aos talentos individuais, com os colchoneros é exatamente o contrário, colocando em dúvida a profundidade do elenco.

Desde que se atestou que o Atlético de Madrid fazia ótima temporada, a pergunta que ficava no ar era: “Com o elenco que tem, conseguirá manter a pegada até o fim?” Afinal, o time titular que vinha encantando rodada após rodada era de grande qualidade, mas as opções no banco não permitiam fazer mudanças na equipe sem perder esse nível.

Depois do disputado embate com o Milan no meio de semana pela Liga dos Campeões, Simeone decidiu poupar Miranda, pondo em campo Toby Alderweireld, e o belga não conseguiu manter o padrão. O fato de o clube ter sofrido sua primeira derrota por três gols de diferença após mais de um ano ajuda a demonstrar isso.

A rotação entre titulares e reservas no Atleti é menor que em Real e Barça, que fazem isso sem sofrer uma queda significativa de qualidade como os rojiblancos. Por mais que a derrota deste domingo tenha acontecido no Reyno de Navarra, um estádio duríssimo para se vencer (Real e Barça só empataram lá), o tamanho do tombo é mais significativo que as possíveis desculpas. A interrupção da fase esplendorosa que o time vivia levanta ainda mais os questionamentos.

Embora a distância para a primeira colocação seja mínima, o tropeço inesperado pode ser o sinal de que o time não terá fôlego para brigar pelo título de duas competições difíceis ao mesmo tempo. A próxima rodada, com a visita do Real Madrid ao Vicente Calderón, será vital. Não só para que os colchoneros tirem a diferença na tabela e recuperem o orgulho depois do atropelamento sofrido nas semifinais da Copa do Rei. Sobretudo, servirá para mostrar se o Atleti tem condições suficientes para continuar sonhando com a reconquista de La Liga ou se já pode se apegar ao seu caráter copeiro e apostar todas as fichas na Liga dos Campeões.