Lançamento de trás, a boola acaba caindo pela esquerda. O atacante vai para a linha de fundo, cruza forte e rasante. A bola não é fácil, mas o centroavante nem pensa. Projeta-se, coloca o pé na frente e, em um sem-pulo inapelável, toca para as redes sem que o goleiro possa fazer nada.

Assim foi o gol de Walter neste sábado, o último nos 3 a 0 do Fluminense sobre o Flamengo. Assim foi o gol de Romário no Brasil 3×2 Holanda na Copa de 1994. Sim, nós cometemos a heresia de colocar esses dois lances lado a lado. Mas eles foram realmente parecidos.