O Arsenal, quem diria, atravessa um bom momento na Premier League. A derrota para o Watford parece ter sacudido o time, que, desde então, venceu cinco de seus últimos seis compromissos – sendo que o único revés no período aconteceu diante do Manchester City, em tarde na qual os Gunners poderiam ter desfrutado de sorte melhor. Já nesta quarta, o time de Arsène Wenger pareceu inspirado por outros tempos. Você se lembra de quando os golaços coletivos eram praxe no Norte de Londres? Pois então: comandada por Mesut Özil, a equipe da casa colocou o Huddersfield na roda, dentro do Emirates. E os recém-promovidos, que fazem um início de temporada satisfatório na elite, acabaram goleados por 5 a 0.

Em três minutos, o Arsenal já saiu em vantagem no Emirates. Foi o primeiro grande gol bem construído, com muitos passes rápidos, explorando as brechas na defesa do Huddersfield. O destaque fica para a assistência de calcanhar de Aaron Ramsey, deixando Alexandre Lacazette na cara do gol, para definir. Lesionado, o francês seria substituído no intervalo por Olivier Giroud. E os visitantes poderiam ter empatado no início do segundo tempo, graças a uma lambança de Petr Cech. Como um jogador de vôlei, o goleiro tentou “cortar” a bola para fora, mas carimbou o próprio travessão.

A magia do Arsenal começaria, de fato, aos 23 do segundo tempo. Foram quatro minutos completamente imparáveis dos Gunners, rendendo três gols. E impressionou mais uma vez como as linhas de passe fluíram, com vários toques de primeira encadeados no segundo e no terceiro tento. Primeiro, Özil deixou Giroud na boa para marcar, antes que cruzasse para Alexis Sánchez fuzilar. Já o quarto gol veio por cortesia do próprio alemão. Por fim, em lance com um pouco menos de requinte, Giroud fechou a conta aos 41.

A vitória permite ainda que o Arsenal finque o pé no G-4 da Premier League. Chega aos 28 pontos, na quarta colocação, abrindo distância principalmente para o rival Tottenham, que perdeu na rodada. Se as cobranças vinham sendo enormes sobre Arsène Wenger, a resposta é notável, especialmente depois do que se viu no dérbi. E a goleada sobre o Huddersfield, justamente depois que o Manchester City suou sangue para vencê-lo, tem grande valor aos Gunners.