Gerard Deulofeu tem 24 anos e já foi considerado, nos tempos de categorias de base do Barcelona, como o próximo grande jogador formado pelo clube catalão. Em uma época que se falava muito das cantera blaugranas, em 2013, ele foi aproveitado nos profissionais, mas não conseguiu empolgar. Daí em diante, passou a ser emprestado e passou por outros clubes. Voltou no início da temporada, de forma surpreendente, mas novamente não conseguiu ganhar espaço. Emprestado ao Watford, ele admitiu a culpa por não conseguir se firmar.

LEIA TAMBÉM: Illgner: “Löw pode confiar em Ter Stegen. No Barcelona, ele é tão importante quanto Messi”

“Muito disso é minha culpa”, afirmou Deulofeu, em entrevista à Esports Copa. “No fim das contas, sou eu quem tenho que merecer o direito de jogar mais. Eu acho que eu fui melhor saindo do banco do que quando comecei jogando. Eu sei que eu não me provei. Eu acredito em mim mesmo mais que qualquer um, mas eu tenho que reconhecer que não fui consistente o bastante”.

“Eu disse [a Ernesto Valverde, técnico do Barcelona] quando eu saí [emprestado ao Watford] que muito daquilo era minha culpa, porque ele me deu as oportunidades que eu queria”, afirmou ainda o ponta espanhol.

Considerado um dos melhores jogadores da sua geração nas categorias de base do Barcelona, Deulofeu não conseguiu o seu espaço no time principal do clube catalão. Foi frequentemente apontado como uma futura estrela mundial, teve bons jogos pelas seleções de base da Espanha, mas nunca repetiu o sucesso com a camisa azul e grená do Barcelona.

Embora esteja emprestado ao Watford ao final da temporada 2017/18, com contrato até junho de 2019, o atacante reconhece que será muito difícil ter uma nova chance no clube que o formou para o futebol por causa das contratações do clube, Ousmane Dembélé e Philippe Coutinho.

“Eu acho que será muito difícil voltar”, afirmou ele. “Não é preciso ser muito inteligente para saber que se o Barcelona me emprestou para outro time, é porque eles têm pouco interesse em mim. Eu estava em acordo que eu tinha que sair porque eu não tinha jogado por um mês e meio e as coisas não estavam funcionando. Eu quero jogar e ser feliz. Eu não estou feliz no banco”, contou o ponta.

Deulofeu teve uma lesão de tornozelo que o tirou dos últimos três jogos do Watford, mas tem se sentido bem atuando pelo clube inglês. Atuando na ponta direita, tem ajudado o time nos jogos. Foram quatro até aqui na Premier League, com duas vitórias, um empate e uma derrota. Marcou um gol e fez uma assistência.

“Desde que eu cheguei ao Watford eu tenho sido realmente feliz”, afirmou o jogador. “Eles me tratam de forma diferente. Eu pude jogar quatro jogos e eu me senti bem”, continuou. “A lesão foi uma pena, mas eu espero estar de volta em breve e jogar os últimos quatro ou cinco jogos da temporada. No final da nossa campanha, eu vou conversar com o Barça e com o meu empresário, mas eu não posso dizer o que vai acontecer porque mesmo eu não sei”.

Deulofeu deixou o Barcelona pela primeira vez em 2013, quando foi emprestado ao Everton por uma temporada. O desempenho no time de Liverpool foi bom, mas na temporada seguinte ele foi emprestado novamente, desta vez ao Sevilla. Só que no time da Andaluzia o ponta não foi bem. Também não seria aproveitado no Barcelona e, por isso, foi vendido definitivamente para o Everton, mas com uma cláusula de recompra, em 2015.

Depois de um bom início, Deulofeu foi perdendo espaço e na temporada 2016/17, amargava o banco de reservas. Por isso, foi emprestado ao Milan em janeiro de 2017 e reencontrou seu futebol. No time italiano, teve ótimo desempenho, voltou a ser convocado para a seleção da Espanha e o Barcelona, então, exerceu a cláusula de recompra que tinha mantido na venda ao Everton. Pagou € 12 milhões para ter o jogador de volta ao Camp Nou.

Com a saída de Neymar, se esperava que ele pudesse se firmar como uma opção no ataque ao lado de Luis Suárez e de Lionel Messi. Teve chances, mas não se firmou. Encostado novamente na reserva, foi emprestado ao Watford, mais uma chance de atuar no futebol inglês.

Sabendo que não deve ser aproveitado no Barcelona na próxima temporada, ainda não sabe para onde vai. Talvez precise continuar no Watford, provavelmente custando pouco, o que poderia ser uma aposta interessante do clube inglês. Aos 24 anos, Deulofeu não atingiu o nível que se esperava. Mas ainda pode ser um jogador útil a vários times. Como o Watford. Talvez o Barcelona seja um pouco demais para ele. No fim, a pergunta ao final da temporada será: quem fica com Deulofeu?