Aurelio de Laurentiis e Maurizio Sarri nunca tiveram a mais calma das relações profissionais. E neste sábado, o presidente do Napoli acrescentou mais um capítulo turbulento a ela. Em declarações à Sky Italia, De Laurentiis criticou o comportamento do agora novo técnico do Chelsea – e ainda alegou que Sarri desejava descumprir uma cláusula do contrato que o ligava aos Partenopei. Tal cláusula proibia o clube para o qual fosse de buscar jogadores do Napoli, no mercado de transferências imediatamente posterior à chegada de Sarri.

Não foi o que o Chelsea e Sarri fizeram, segundo De Laurentiis: “Ele queria levar todo o meu time para a Inglaterra, queria desmantelar meu time. Eu tive de mostrar a cláusula para Marina [Granovskaya, diretora do Chelsea]”. Só em uma contratação o dirigente aquiesceu: “Ele queria Jorginho, e eu só o liberei após falar com Ancelotti, que me disse apostar muito em Diawara, e queria escalar Hamsik mais próximo da área”.

As críticas a Sarri seguiram, lembrando seu comportamento interno no Napoli: “Não gostei dele ter dito que ambos cometemos erros. Não acho que cometi nenhum. Errei ao não cobrá-lo, embora fosse a coisa mais óbvia a se fazer. Ele tinha um contrato, então eu poderia ter dito algo, porque ele agia de maneira inaceitável, criticando jogadores que ele não achava muito bons. Esses jogadores deram muito a ele. Ele o massacrava nos seus treinamentos fantásticos, mas sempre responderam bem”.