A estreia de Diego Costa não poderia ter ambiente mais familiar. O estádio Vicente Calderón, casa do Atlético de Madrid, seu clube, foi o palco do jogo contra a Itália. Ele esteve o tempo todo em campo, mas não foi além de uma atuação razoável. Até tentou, é verdade, mas os dois times não colaboraran. A Itália, toda modificada, não jogou grande coisa. A Espanha, um pouco mais completa, mas ainda desfalcada, também não fez muito. O resultado de 1 a 0 para os espanhóis só veio graças a um frango.

O resultado foi esse que você poderia esperar mesmo: um jogo com cara de 0 a 0. Só que não foi. Pedro marcou o gol da vitória em uma jogada bonita, mas com uma finalização ruim. A bola entrou porque Buffon colaborou bastante.

A Itália fez muitos testes. Osvaldo e Cerci jogaram no ataque, acompanhados por Candreva. O problema continuou sendo o meio-campo, que não criou nada. Pudera: mal teve a bola nos pés. No jogo, só 30% de posse de bola. Quem olha a estatística, aliás, achará que a Espanha massacrou. Além dos 70% de posse de bola, foram 21 chutes a gol contra apenas três. Que coisa, hein? Pois é, pena que dos 21, só cinco acertaram o gol. E chances de gol, mesmo, olha… Talvez duas. Se você não for muito rigoroso no critério.

A Itália ainda mudou bastante no segundo tempo, colocando em campo jogadores promissores, como Destro e Immobile. Inútil, porque a Itália pouco fez para aproveitá-los. Aliás, todo mundo pouco fez. Não dá para levar em consideração a atuação dos dois times pensando em Copa do Mundo. A Espanha ainda demonstrou um pouco do seu tradicional estilo, ainda que com bastante preguiça. Já a Itália certamente será diferente no Mundial, com um time mais competitivo e com um futebol certamente melhor.

Destaque do jogo

Os uniformes dos times são lindos. Uma pena que o da Espanha, ainda que bonito, não tenha absolutamente nada a ver com a Espanha. No mais, nada a destacar.

Momento-chave

No primeiro tempo, a Itália tentou um cruzamento que acabou acertando a trave.O gol certamente mudaria a dinâmica do jogo.

O gol

18’/2T: GOL DA ESPANHA! Bela jogada espanhola com David Silva e Iniesta, que tocou de calcanhar. A zaga da Itália conseguiu cortar, mas a bola sobrou para Pedro chutar mal e Buffon, bem, engolir um frango.

Curiosidade

Thiago Alcântara foi titular na partida. O seu primeiro jogo pela seleção espanhola foi justamente contra a Itália, no dia 10 de agosto de 2011. O amistoso foi disputado em Bari, cidade onde Thiago nasceu. Filho do brasileiro Mazinho, ele tem tripla nacionalidade – italiano, brasileiro e espanhol. Optou pela última no futebol.

Ficha técnica

Espanha 1×0 Itália

Espanha
Iker Casillas (Victor Valdez, intervalo); César Azpilicueta, Javi Martínez, Sergio Ramos (Raul Albiol, 21’/2T) e Jordi Alba; Sergio Busquets (Xabi Alonso, intervalo), Thiago Alcântara, Cesc Fàbregas (David Silva, intervalo) e Andrés Iniesta (Jesus Navas, 21’/2T); Pedro (Santi Cazorla, 37’/2T) e Diego Costa. Técnico: Vicente Del Bosque

Itália
Gianluigi Buffon; Christian Maggio (Ignazio Abate, intervalo); Gabriel Paletta, Andrea Barzagli e Domenico Criscito (Mattia De Sciglio, intervalo); Thiago Motta (Emanuele Giaccherini, 17’/2T), Claudio Marchisio e Riccardo Montolivo; Antonio Candreva (Andrea Pirlo, intervalo), Alessio Cerci  (Ciro Immobile, 24’/2T)e Pablo Osvaldo (Mattia Destro, 24’/2T). Técnico: Cesare Prandelli

Local: Estádio Vicente Calderón, em Madri (ESP)
Árbitro: Yevgen Aranovskyn (UCR)
Gols: Pedro, 18’/2T (Espanha)
Cartões Amarelos: Criscito, Destro (Itália)
Cartões Vermelhos: Nenhum