Como se não bastasse a enorme capacidade de administrar um grupo de maneira a tirar o melhor de cada jogador, Diego Simeone é também um técnico “paizão”, que zela pelos interesses pessoais de seus comandados. O que importa que Diego Costa é o melhor atleta do Atlético de Madrid nesta temporada? Para o treinador, é ótimo que o Chelsea esteja interessado no atacante, e uma transferência de Costa para Londres seria algo ótimo para a carreira do brasileiro.

Leia mais:
>> Esse Atlético de Madrid tem um coração do tamanho da Europa

>> Não havia como o Atlético negar o pedido da torcida em um mosaico fantástico como esse
>> Interferência da Uefa no caso Courtois deve mudar cláusula de empréstimos daqui em diante

Em entrevista para a rádio espanhola Onda Cero, Simeone mostrou esse seu lado altruísta com palavras nada vazias. Afinal, como ele próprio lembra, não criou obstáculo algum para a saída de Falcao García para o Monaco. Como um ex-atleta que se aposentou há poucos anos, o técnico entende muito bem a perspectiva de um jogador de futebol, cuja carreira é curta, então toda oportunidade para crescimento profissional e, principalmente, para garantia de uma estabilização financeira após a aposentadoria deve ser aproveitada.

“Vai depender dele e do que ele considera melhor para o seu futuro. Vou apoiar qualquer decisão que ele tome. É natural que o Chelsea esteja interessado nele, e isso me deixa feliz, pois meu objetivo e o da minha comissão técnica é ver nossos jogadores melhorando. Entendemos que o Chelsea tem um grande poder financeiro, e se ele quiser viver do futebol pelo resto da vida dele, não terei problemas com a saída dele. Foi como com o Radamel Falcao. Como eu poderia dizer a ele para não ir para o Monaco?”, comentou Simeone.

Se você viu Simeone jogar, deve se lembrar de que ele era um cara muito aguerrido, até mesmo desleal em algumas oportunidades, sobretudo no final de sua carreira, quando, apesar da boa técnica, ficou mais lembrado como um cara que distribuia pancadas. Portanto, não é de se espantar a simpatia por Diego Costa, que se encaixa um pouco nessas características. “Ele é um rebelde, e eu gosto disso. Ele está destinado a ser um jogador diferente. Espero que ele não pare de crescer, pois ainda tem potencial para isso. Agora, ele está entre os candidatos à Bola de Ouro”, avaliou o treinador.

Ver a maneira como Diego Simeone lida com situações como essa, de interesse de outros clubes em seus melhores atletas, ajuda a explicar a relação boa dele com o grupo e o clube. Os jogadores devem se sentir mais seguros de se entregar às instruções do argentino pois têm plena certeza de que o técnico procura o melhor para o time, mas sem deixar de levar em consideração o que é bom também para seus comandados. Não sei você, mas se eu fosse jogador do futebol, ouviria muito mais o que alguém como Simeone tem a dizer do que o que técnicos que te jogam contra a torcida teria a dizer.

Se Diego Costa sair, tudo bem, mas Simeone quer Fernando Torres

A relação do Atlético de Madrid e de seus torcedores com os jogadores revelados dentro do clube é de muita estima. Óliver Torres, por exemplo, visto como o atleta com maior potencial a sair da base desde Fernando Torres, é tratado com muito carinho, expectativa e calma. E talvez por isso, mais do que pelo fase atual do atacante, Simeone queira o jogador do Chelsea de volta ao Vicente Calderón. “O Fernando (Torres) está sempre conosco, é claro. Mandei mensagens para ele, ele está muito feliz com tudo o que está acontecendo ao seu time. Ele está sempre presente, nos desejando sorte. É claro que ele amaria voltar ao clube em que cresceu e em que foi muito feliz”, revelou o técnico. E alguém tem alguma dúvida de que, se tem um clube e um treinador que poderiam recuperar aquele velho ‘El Niño’ Torres, seriam o Atleti e o Simeone?