O dirigente de futebol mais poderoso da Croácia teve a sua prisão decretada nesta quarta-feira. Zdravko Mamic foi condenado a seis anos e meio de prisão por corrupção, em julgamento que também condenou o meio-campista Luka Modric por perjúrio. A condenação, porém, não influencia em nada a participação do jogador na Copa do Mundo.

LEIA MAIS: Modric caiu em desgraça com a torcida croata e pode pegar cinco anos de prisão

Mamic era o executivo-chefe do Dinamo Zagreb, um dos principais clubes do país. Além disso, era também vice-presidente da Federação Croata de futebol (HNS). Há anos os torcedores do clube croata reclamam que o dirigente, junto com seus aliados, usa o clube para ganhar dinheiro e sonegar impostos.

Em 2015, Zdravko Mamic e o seu irmão, Zoran, técnico do Dinamo na época, foram presos por irregularidades em transferências e sonegação de impostos. Na época, a acusação era de embolsar irregularmente US$ 17,3 milhões desde 2008, além de sonegar US$ 1,8 milhão em impostos. Entre as transferências irregulares estaria a de Luka Modric para o Tottenham, em 2008.

Além de Zdravko Mamic, o tribunal em Osijek condenou também o seu irmão Zoran Mamic, o ex-diretor do Dinamo Zagreb, Damir Vrbanovic, e Milan Pernar, inspetor de impostos. Nenhum deles estava presente para ouvir as sentenças. Todos negam terem cometido irregularidades. Na noite anterior ao veredicto, Zdravko Mamic saiu do país. Foi para Medjugorje, na Bósnia, país do qual também tem nacionalidade. Uma indicação que ele previa uma condenação.

Torcedores do Dinamo Zagreb reclamam da gestão de Zdravko Mamic porque o clube, assim como a maioria no Brasil, é social, ou seja, sem fins lucrativos. Diferente de clubes europeus com donos, onde um dos objetivos é dar lucro aos seus donos. Segundo os torcedores, o dirigente privatizou os lucros e compartilhou os prejuízos.

Por isso, Zdravko Mamic é alvo de protestos há muitos anos e muitos além de apenas protestos. Em 2016, na Eurocopa, torcedores da cromática atiraram sinalizadores em campo em protesto contra o dirigente. Em 2017, ele foi vítima de uma tentativa de assassinato e foi atingido com um tiro quando visitava o pai no cemitério.

Os torcedores certamente sentem um alívio ao verem que finalmente o dirigente terá que pagar pelos seus erros. Ao menos é o que se espera.