O Wolverhampton nem precisou entrar em campo para selar o seu retorno à elite do futebol inglês, após seis temporadas nas divisões inferiores. Neste sábado, o terceiro colocado Fulham empatou, em casa, com o Brentford e pode chegar no máximo a 91 pontos. O tricampeão inglês já tem 92 e, neste domingo, recebe o Birmingham City somente para comemorar e garantir o título da Championship.

LEIA MAIS: O gol de Rúben Neves fica ainda mais espetacular com a narração oficial dos Wolves

Campeão inglês três vezes na década de cinquenta, e auto-proclamado melhor time do mundo naquela época, o Wolverhampton tem apenas quatro temporadas de Premier League em sua história. E nunca foi muito bem. Em 2003/04, voltou imediatamente à segunda divisão como lanterna. Retornou em 2009/10 e conseguiu três anos seguidos na elite, com um 15º lugar, seu melhor resultado na liga inglesa moderna, um 17º e o rebaixamento em 2012, novamente como último colocado.

Desde então, o Wolverhampton passou por problemas sérios. Assim que retornou à Championship, sofreu a segunda queda seguida, para a terceira divisão. Voltou como campeão da League One. Quase chegou aos playoffs em 2014/15, mas emendou duas campanhas medianas na sequência. Nesta temporada, porém, conseguiu uma campanha sólida, com 28 vitórias, oito empates e seis derrota em 42 rodadas até agora.

O acesso do Wolverhampton é consequência natural da injeção de dinheiro do grupo chinês Fosun International, que comprou o clube em 2016. Os amigos do empresário Jorge Mendes abriram a carteira, para os parâmetros da Championship, e trouxeram uma série de jogadores portugueses, como Hélder Costa (32 jogos na atual temporada da segunda divisão), Roderick Miranda (16) e Ivan Cavaleiro (41).

O principal nome foi o volante Rúben Neves, que jogou 38 vezes até agora na campanha do Wolverhampton e marcou seis gols, muitos deles verdadeiras pinturas. A revelação do Porto, contratada no começo da temporada, custou € 18 milhões e se tornou o jogador mais caro da história da Championship. A sua transferência para a segunda divisão inglesa foi uma surpresa na época, considerando que era cobiçado por algumas equipes da Premier League.

Segundo o site especializado Transfermarkt, o Wolverhampton tem o segundo elenco mais valioso do torneio (€ 97 milhões), atrás do Fulham (€ 107 milhões). O grosso do investimento foi feito na temporada passada, com € 36 milhões em contratações. Na atual, foram apenas € 24 milhões, valor alto para o nível da Championship, mas, por exemplo, longe dos € 55 milhões desembolsados pelo Middlesbrough.

Caso mantenham seus principais jogadores, principalmente Neves, e a inclinação dos donos a grandes investimentos, o Wolverhampton tem uma base interessante para finalmente fazer uma boa campanha na Premier League. Enquanto isso, resta comemorar o acesso, como fizeram os jogadores, assistindo ao empate do Fulham pela televisão: