Depois de sete anos consecutivos erguendo a taça do Campeonato Grego, o Olympiacos está praticamente fora da disputa pelo título nesta temporada. Terceiro colocado, soma 51 pontos, a seis do líder AEK Atenas – que ainda tem uma partida a menos, restando quatro rodadas para o fim da competição. Neste final de semana, os alvirrubros permitiram que os rivais abrissem uma vantagem maior, ao não passarem de um empate na visita ao Levadiakos. Assim, o polêmico dono do clube, Evangelos Marinakis, anunciou uma de suas tantas decisões contestáveis: “antecipou as férias” de seus jogadores para os quatro compromissos finais.

Segundo a imprensa grega, Marinakis aplicou uma multa de 400 mil euros ao elenco e dispensou os atletas de suas atividades nas próximas semanas. Assim, jovens formados pelo clube deverão ser os responsáveis por representar o Olympiacos na reta decisiva do Campeonato Grego. Além disso, o dirigente também demitiu o técnico Óscar García. O Olympiacos está a um ponto do vice-líder PAOK, em disputa direta por um lugar nas preliminares da Liga dos Campeões. Os alvirrubros já se garantiram ao menos na Liga Europa.

“Vou reconstruir o Olympiacos do zero e o time se converterá naquilo que sonhamos, os torcedores e eu. Aturamos bastante esta equipe. Vão sair de férias e ganham a multa por este empate, assim como pelo 1 a 1 com o Panathinaikos”, afirmou Marinakis. “Eles só pensam em suas mansões e em seus carrões. Não se preocupam nada com o clube. Os jogadores da filial amam o Olympiacos e nossa torcida ainda mais. Eu pago milhões para que tenham tudo. Demiti três treinadores por causa deles e, no final, parece que eles são os culpados”.

Um dos homens mais ricos da Grécia, Marinakis possui um leque de investimentos que concentra principalmente no setor de navegação. Além do Olympiacos, também é dono do Nottingham Forest. Todavia, sua lista de controvérsias é extensa. Já se envolveu com diferentes casos de manipulação de resultados e intimidação de árbitros, precisando deixar o cargo de presidente do Olympiacos por conta da investigação mais recente – embora siga exercendo sua influência no dia a dia do clube. Além disso, neste mês de março, foi indiciado por tráfico de drogas.