A última rodada da Bundesliga trouxe muitas emoções e suspense para os torcedores. Entre eles, os do Borussia Dortmund. O time brigava por uma das quatro vagas à próxima Champions League e precisava vencer para se garantir. Não venceu. Perdeu por 3 a 1 do Hoffenheim e, assim, ficou à mercê da sorte. Três times terminaram com 55 pontos: o Hoffenheim, o Dortmund e o Bayer Leverkusen. A classificação dos times então foi pelo saldo de gols: 18, 17 e 14, respectivamente. Leverkusen em quinto, sem Champions League.

LEIA TAMBÉM: Ano zero: Pela primeira vez na história, o Hamburgo é rebaixado na Bundesliga

As atuações inconstantes do Dortmund deixaram muitas dúvidas em relação ao trabalho de Peter Stöger. E o treinador anunciou depois do jogo que deixará o clube, o que faz com que o Dortmund tenha que escolher um novo treinador. Uma saída que vinha ficando clara.

“Este foi meu último jogo competitivo pelo Dortmund. Nós já tínhamos tomado essa decisão em conjunto há algum tempo”, disse Stoger. “Em discussões com Michael Zorc e Hans-Joachim Watzke, que foram todas conversas construtivas, nós decidimos depois de um curto período de tempo que um novo impulso é necessário e irá ajudar o clube. E o modo mais fácil de dar um novo impulso é com um novo técnico”, continuou. “Eu poderia ter anunciado essa decisão muitas vezes, já que fui frequentemente perguntado por todos. Mas eu sou um cara da velha guarda”.

“Eu estou feliz que nós atingimos o nosso objetivo mais importante. Eu estou feliz que eu fui, surpreendentemente, escolhido para essa oportunidade. Eu espero que o meu sucessor consiga trazer mais estabilidade e serenidade para este time. É meu desejo para que eles façam o máximo da classificação à Champions League que nós trabalhamos duro para conseguir”, disse.

Os dirigentes do Dortmund ainda elogiaram o treinador, que foi demitido do Colônia no começo da temporada e parou no Dortmund, pelo qual disputou 19 jogos. “Peter Stöger assumiu durante uma fase muito difícil depois de nós não conseguirmos vencer muitos jogos consecutivos. Ele assumiu quando nós estávamos em oitavo lugar. Ele conseguiu acalmar o clube e tudo ao redor, trouxe estabilidade ao time e conseguiu resultados e, em última instância, conseguiu cumprir a tarefa de qualificar para a Champions League”, analisou Michael Zorc, diretor esportivo.

“Nós tivemos muitos problemas diferentes nesta temporada, que é a causa de termos uma mudança de técnico durante o meio da temporada, algo que é atípico para nós. Nós percebemos que não iríamos atingir os objetivos [com o ex-técnico Peter Bosz]. E nós definitivamente teremos que fazer mais mudanças para avançar. Mas eu não sou alguém de fazer promessas e, ao invés disso, nós queremos conseguir resultados”, continuou o dirigente.

Peter Bosz foi contratado vindo do Ajax, mas o time não engrenou como se esperava. Em dezembro, ele foi demitido e Stöger assumiu. O time estava sem vencer um jogo sequer em dois meses. Estava em oitavo na tabela de classificação. A chegada de Stöger a Dortmund, uma semana depois de ser demitido pelo Colônia – time que acabou rebaixado – surpreendeu.

Sem Stöger, o Dortmund terá que pensar em um novo técnico. As especulações são que Lucien Favre é o nome mais cotado. O técnico do Nice era desejado na temporada passada, mas acabou ficando na França. O suíço tem um histórico na Bundesliga, tendo treinado Hertha Berlim e Borussia Mönchengladbach.

Nuri Sahín mostrou insatisfação com o desempenho do Dortmund, apesar de comemorar o quarto lugar e a classificação à Champions League. “Foi uma temporada difícil. Eu estou feliz que de alguma forma nós conseguimos nos arrastar até a linha de chegada”, analisou. “Obviamente, não foi bom, machucou, os torcedores não estão satisfeitos, nós não estamos satisfeitos. Nós nos classificamos para a Champions League, eu não irei pedir desculpas por isso, mas nós temos que ser autocríticos. Nós não deveríamos deixar uma temporada como essa acontecer de novo porque outros times também têm qualidade”.

“Nós nos arrastamos para a linha de chegada porque acumulamos muitos pontos apesar de jogar futebol de baixa qualidade e porque a Bundesliga não foi a melhor neste ano. Agora temos que analisar tudo, precisamos recuperar a serenidade dentro e ao redor do clube. E temos que reavivar nosso vínculo com os torcedores. Então, eu tenho certeza que o Borussia Dortmund vai ficar em pé novamente”.

O executivo-chefe, Hans-Joachim Watzke, também mostrou insatisfação. “Nós estamos aliviados, mas não satisfeitos com o que mostramos nesta temporada como um todo. Nós temos que analisar com muito critério porque foi abaixo das nossas expectativas, apesar de chegarmos ao nosso objetivo de classificar à Champions League. Hoje [sábado] também não foi suficiente. Muitas coisas precisam mudar”, declarou o dirigente à Sky Sports da Alemanha.