O Mundial sub-17, que se encerrou há algumas semanas, revelou ao mundo mais um jovem e habilidoso jogador. E para alegria dos torcedores do Barcelona, que já contam com a categoria de Ronaldinho Gaúcho e Lionel Messi, a mais nova pérola do futebol mundial já veste azul-grená.

Giovanni dos Santos, 16 anos, nascido na Cidade do México e filho de mãe mexicana e pai brasileiro, conduziu a seleção de seu país ao inédito primeiro título mundial de toda história do futebol mexicano. Na final, contra o Brasil, e diante de mais de 40 mil torcedores, apesar de não ter marcado, foi o grande nome na vitória por 3 a 0. Ao final da competição, recebeu a Bola de Prata da FIFA como o segundo melhor jogador do torneio, atrás apenas do brasileiro Ânderson.

Apesar da pouquíssima idade, Giovanni está no Barcelona há quatro anos, desde 2002. Nas categorias juvenis, jogou com Messi até o ano passado, quando este foi promovido para a equipe principal e Giovanni para os Juvenis A do Barça.

Un poco brasileño

As ligações com o Brasil e a semelhança de seu futebol com o brasileiro já lhe renderam inúmeras comparações com o craque Ronaldinho. Seu pai, o ex-jogador brasileiro das décadas de 70 e 80, Zizinho, se mudou para o México nesse período. Apesar de poder contar com dupla nacionalidade, Giovanni nunca cogitou não defender o México.

´´Sou mexicano e é uma grande honra jogar pela seleção do meu país”, garante o garoto. Em terras mexicanas, antes de se transferir para o Barça, jogou nas categorias de base do Monterrey, onde logo se destacou e chamou a atenção dos olheiros espanhóis, que, ávidos por jovens estrelas, trataram de o levar para a terra de Miró.

Sobre as comparações com Ronaldinho, Giovanni mantém os pés no chão e só agradece. “É muito bom ser comparado com alguém como o Ronaldinho”, afirma o jovem mexicano, que também confessa ser fã do meia da seleção brasileira.

Já sobre a amizade cultivada com Messi nos últimos anos, Giovanni toma o colega como exemplo no futebol. “Ele é um bom amigo e um grande exemplo para mim. Mostrou que, se você jogar bem, pode progredir e alcançar os profissionais, e é isso que eu quero fazer”, garante. E para evitar os mesmo problemas de Messi com o visto espanhol, Giovanni já está atrás da cidadanis espanhola.

Outra prova da precocidade do mexicano é o contrato de patrocínio, já assinado, com a multinacional Nike. E a empresa norte-americana aproveitou e já fisgou outra promessa da família Dos Santos: o caçula Jonathan, que daqui alguns anos deverá ter seu nome publicado novamente nessa coluna.

Recentemente, num artigo publicado no jornal espanhol “El Mundo Deportivo”, Giovanni dos Santos já é citado como uma das novas pérolas do Barça. “Lionel Messi representa o futuro do Barcelona, porque pode fazer a diferença no time. Mas anote outro nome: Giovanni dos Santos, ele não é brasileiro, é mexicano, e tem somente 15 anos (hoje já tem 16). Não há dúvidas que Ronaldinho faz escola”.

E que bela escola…