O jogo entre Manchester City e Chelsea levou a muito debate na Inglaterra. A vitória dos Citizens, líderes do Campeonato Inglês, foi só por 1 a 0, mas o Chelsea pouco conseguiu jogar. Preocupado em marcar, o time de Conte não conseguia desenvolver jogadas ofensivas quando recuperava a bola. O estilo de jogo defensivo gerou críticas, como a do comentarista Jamie Redknapp, da Sky Sports, que chamou a atuação dos Blues de “crime contra o futebol”. Mas ele não foi o único. O debate sobre a estratégia do Chelsea passou por vários ex-jogadores e comentaristas e despertou uma discussão interessante sobre como abordar um jogo contra este Manchester City de Guardiola.

LEIA MAIS: Manchester City impôs seu estilo de forma avassaladora para dominar um impotente Chelsea

Redknapp: “Anti-futebol”

“Isso foi anti-futebol, isso foi um crime contra o futebol”, disse, revoltado, o comentarista da emissora inglesa. “Eu realmente sinto muito forte isso. Eu estava ansioso para assistir a esse jogo hoje. Eu entendo não jogar com um centroavante e ser difícil de ser vencido, mas você tem que ter alguma intenção. Eles têm bons jogadores, era como se ele não quisesse sequer ir para o ataque”.

“O Manchester City sequer teve que ser tão bom, o Chelsea realmente não quis jogar. O técnico deve ter colocado na cabeça deles para ficar atrás. Eles são melhores que isso. Ainda que Pep Guardiola estivesse celebrando, ele deve ter pensado que foi uma perda de tempo”, disse ainda Redknapp, com palavras duras. “O Chelsea deveria dar a eles os três pontos antes mesmo do jogo começar”.

Neville: “90 minutos inaceitáveis do Chelsea”

Gary Neville, outro dos comentaristas da emissora, também foi crítico à tática escolhida por Conte. “Eu acho que o Chelsea nos deu 90 minutos inaceitáveis ali. Foi terrível. Sim, você quer vir até o Manchester City e garantir que você está compacto para parar KKevin De Bruyne e David Silva. Você quer fazer com que a bola fique com os zagueiros e laterais e eles fizeram isso”, continuou o ex-lateral direito.

Neville também falou sobre como o roteiro dos técnicos do Chelsea tem se repetido. “A hierarquia do Chelsea tem sido precisa e brutal no passado – a segunda temporada para os técnicos do Chelsea são notoriamente difíceis depois de eles vencerem a liga. O que estamos começando a ver é o típico Chelsea”, analisou. “Se eles forem eliminados da Champions League, então podemos ver acabar rapidamente para Antonio Conte, que fez um trabalho brilhante no clube”.

Gullit: “Táticas de Conte foram terríveis de assistir”

Ex-jogador do Chelsea, Ruud Gullit também fez duras críticas à forma como o Chelsea abordou o jogo com o City. “O time de Conte mostrou praticamente nenhuma intenção de atacar no Etihad. Em vez disso, eles tinham esperança que o City errasse para deixa-los usar um contra-ataque, ou tinham esperança que alguém tivesse um momento de gênio em frente ao gol”, afirmou o holandês.

“Isso era tudo que eles tinham: esperança. Eles nunca pareceram realmente fazer algo para que isso acontecer e eu fiquei realmente decepcionado com o desempenho deles. Eu não sei por que Conte não mudou nada durante o jogo, mesmo que sua abordagem claramente não estivesse funcionando e ele podia ver o perigo chegando”, continuou.

“Conte disse depois que eles não queriam deixar que o City tivesse muito espaço. Bem, eles conseguiram isso em alguns momentos, mas muito tempo o Chelsea não conseguiu nem isso. Seu time não estava pressionando, ou tentando se aproximar dos jogadores do City. Foi muito passivo”, declarou o ex-jogador.

“Eu estava assistindo ao jogo, especialmente no segundo tempo, quando o City estava vencendo por 1 a 0, e pensando: certo, vamos mudar alguma coisa, não apenas em termos de pessoas, mas taticamente também”, continuou o jogador. “Na minha opinião, o Chelsea tinha que ao menos tentar. Se você fizesse isso e perdesse, então você poderia sair de cabeça erguida”.

“Conte não fez nada. E, por mais que eu ame o Chelsea, essa derrota foi exatamente o que o time mereceu. O jogo foi quase entediante, o que é um elogio ao City, porque eles estavam completamente no controle”.

Conte: “Não vou jogar aberto contra o Manchester City e perder por 3 a 0 ou 4 a 0”

Antonio Conte também respondeu com palavras fortes na zona mista, após o jogo. Ele defendeu as escolhas que fez. E lembrou do que ouviu em relação às críticas a Arsène Wenger e as duas derrotas consecutivas do Arsenal para o Manchester City, na final da Copa da Liga e no Campeonato inglês.

“Eu acho que neste momento você tem que aceitar todas as críticas, mas eu não sou estúpido de jogar contra o Manchester City aberto e perder por 3 a 0 ou 4 a 0”, afirmou o treinador italiano. “Se eu me lembro bem, alguns dias atrás, o Arsenal jogou duas vezes contra eles e vocês criticaram muito Wenger porque ele sofreu três gols em 30 minutos”, disse Conte.

“Eu acho que o comentarista tem que usar a cabeça para entender quando você fala sobre tática, porque eu acho que você precisa ter conhecimento para falar sobre tática e não falar de um modo estúpido”, criticou ainda o treinador. Ele defendeu as escolhas que fez e explicou, taticamente, por que o Chelsea jogou assim.

“Se você der ao City espaço atrás de nós, o jogo pode não terminar 1 a 0”, afirmou o treinador do Chelsea. “Não é bom o bastante, mas esta é a verdade, eu não acho que é por causa da tática. Mas o jogo foi isso e nós tentamos fazer o nosso melhor”.

“Não é simples jogar contra o Manchester City. Eles têm uma grande intensidade em todos os momentos do jogo, nós tentamos fazer isso e defender bem, mas se nos sofremos um gol depois de 30 segundos no segundo tempo”, explicou Conte. “É muito difícil virar depois disso, mas não esqueçam que estávamos sem N’Golo Kanté, que é um jogador crucial para nós e para o nosso equilíbrio”.

Perguntado se tinha se arrependido da estratégia que usou contra o Manchester City, Conte foi assertivo na resposta. “Eu acho que nós temos que ter um grande arrependimento pela derrota contra o Bournemouth, Watford e Manchester United, mas não temos que lamentar hoje. Hoje nós jogamos contra um time que está mostrando ser um time forte”, declarou o italiano. “Hoje eles mostraram a diferença entre eles e nós neste momento, 25 pontos é uma grande diferença e nós podemos nos arrepender por outros jogos, mas não por esse”.

O grande debate sobre o que aconteceu é como o Chelsea poderia ter jogado. A opinião da maioria dos comentaristas é que o Chelsea jogou pouco perto do que poderia, causando poucos problemas e se permitindo ser totalmente dominado assim. Por um lado, Conte sabia que se algo desse errado e o Chelsea fosse goleado, tudo cairia nas suas costas; por outro, a passividade de como o time atuou, mesmo perdendo e levando pouco perigo. O debate é interessante.  Alguns comentaristas lembraram que o Liverpool venceu o Manchester City pressionando no ataque, marcando muito forte sufocando o time de Guardiola. Só que há mais exemplos do que deu errado do que o que deu certo. Por isso, o debate é realmente bom e parece não haver uma forma que garanta um bom desempenho.