Arda Turan, do Atlético de Madrid (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Duvidar dos 300 de Arda “Leônidas” Turan e Simeone é impossível

Quando o Rei Leônidas reuniu seus 300 em um exército para tentar impedir a invasão dos persas, a missão parecia muito difícil, mas duvidar dos espartanos era impossível, por tudo que se mostraram capazes de fazer. Depois de tudo que o Atlético de Madrid fez na temporada passada e nessa, ninguém mais ousaria duvidar do time de Diego Simeone. Os feitos são incríveis e, assim como no enredo do filme, os comandados pelo técnico argentino parecem um osso duro para quem quer que seja. Liderados em campo pelo seu rei Leônidas, o turco Arda Turan, os Colchoneros parecem prontos a encarar qualquer batalha, mesmo contra exércitos maiores e mais poderosos, como serão os persas do Real Madrid. A categórica vitória por 3 a 1 do Atlético sobre o Chelsea em Londres é dessas vitórias que ecoarão na história.

LEIA TAMBÉM: A temporada de Diego Costa já é tão boa quanto a melhor de Falcao García pelo Atlético

Depois de um empate por 0 a 0 em casa, com um enrosco defensivo tremendo do Chelsea, se esperava que os azuis de José Mourinho mostrassem seu poder de fogo. O estádio Stamford Bridge viu é um time espanhol aguerrido, que não se intimidou e conseguiu ter uma atuação grande, sem se render ao nervosismo em nenhum momento. Venceu categoricamente, sem precisar ficar atrás da linha da bola. Colocou 3 a 1 no placar, a classificação no bolso e saiu andando vencedor, deixando o Chelsea estatelado e sem reação.

Era esperado que o Chelsea tivesse mais força no ataque, tentasse mais chegar ao gol por atuar em casa. Fez isso. Esteve, na maior parte do tempo, no campo de ataque, com mais posse de bola e mais passes. O Atlético, porém, era perigoso. Conseguiu criar chances – algumas até sem querer, como um cruzamento que virou chute de Koke. O Chelsea até abriu o placar, mas a postura do Atlético de Madrid seguiu tranquila. E não demorou a empatar o jogo, já no final do primeiro tempo.

O que se esperava era uma postura muito mais conservadora do Atlético e muito mais ofensividade do Chelsea. O que se viu nos primeiros minutos da etapa final foi um Atlético valente no ataque, sem tentar só se defender. Causou problemas à defesa azul e dava mostras que não defenderia o resultado postado lá atrás, na defesa. Veio o segundo gol, em um pênalti convertido por Diego Costa, e veio ainda o terceiro, com Arda Turan.Controlava o jogo, tocando a bola no ataque, sem correr muitos riscos.

LEIA TAMBÉM: José Mourinho, o técnico que não tem vergonha de se defender

O Chelsea sequer conseguiu fazer aquela pressão no modo vaca louca, como foi contra o Paris Saint-Germain e tirou um gol da cartola no final. Desta vez, o Atlético deu um banho de bola, controlando o segundo tempo o tempo todo. Tanto que no primeiro tempo a posse de bola tinha sido 55% para o Chelsea contra 45% do Atlético. No segundo tempo, a estatística praticamente se inverteu. Ficou em 52% para o Atlético contra 48% do Chelsea. Completo controle dos espanhóis.

A final da Liga dos Campeões será, pela primeira vez, entre times da mesma cidade. O Atlético terá que superar toda a tradição do Real Madrid, obcecado pela décima taça da competição. Um desafio enorme, como o que o rei Leônidas enfrentou na batalha contra os persas, e que ficará ainda maior considerando que a cidade da final, Lisboa, deve apoiar fortemente o maior ídolo português, Cristiano Ronaldo. O favoritismo será do Real Madrid, mas isso, para o Atlético, não importa nada.

A semelhança de Arta Turan com o rei espartano Leônidas, do filme 300, vai além da barba. Por mais que seu exército esteja em desvantagem, duvidar dos espartanos não é muito prudente. Vale o mesmo para Turan e para o time de Simeone. Esse time já deu todas as demonstrações que não se intimida com nada. O Real Madrid deverá desfilar seu exército com elefantes e bestas enormes. Turan Leônidas e o comandante Simeone farão uma batalha épica.

LEIA TAMBÉM: A ligação de Fernando Torres com Simeone é mais antiga do que você imagina

Formações iniciais

Chelsea x Atletico de Madrid

Destaque do jogo
Arda Turan, do Atlético de Madrid (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Arda Turan, do Atlético de Madrid (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Arda Turan é um dos jogadores mais importantes do Atlético na temporada. Voltou nesta partida, depois de lesão, e foi fundamental. Incomoda demais a defesa adversária, se posiciona bem, cai pelas pontas para armar o jogo e tem uma predileção incrível pelos jogos decisivos. Não poderia ser diferentes desta vez. Participou da “blitz” que levou ao segundo gol e marcou o terceiro, em um lance de persistência. O apetite deste turco por jogos deste porte é algo assustador. O Real Madrid que se cuide.

Momento-chave
Adrián López Marcou o primeiro gol do Atlético contra o Chelsea (AP Photo/Matt Dunham)

Adrián López Marcou o primeiro gol do Atlético contra o Chelsea (AP Photo/Matt Dunham)

O gol de Adrián ajudou a impedir um cenário psicologicamente muito desfavorável. Aos 44 minutos do primeiro tempo, o time perdia e teria que administrar no intervalo a questão de estar, com aquele placar, eliminado. O gol mudou tudo, inverteu a situação e deu tranquilidade ao Atlético. O efeito no Chelsea foi o contrário, colocando mais pressão nas costas do time azul. E aí o Atlético cresceu, e cresceu demais.

Os gols

36’/1T: GOL DO CHELSEA! Grande jogada de Willian pela direita e a bola sobra para Azpilicueta, que cruza de primeira e Torres, também de primeira, marca. E não comemoa contra o time pelo qual se formou e do qual é torcedor.

44’/1T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Tiago lança a bola na segunda trave, Juanfran se esforçou para alcançar e tocar para dentro da área. A bola passou para todo mundo e Adrián López finalizou errado, mas a bola entrou pelo alto.

15’/2T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Diego Costa sofreu pênalti claro de Eto’o, que acabara de entrar. Ele mesmo bateu e marcou.

27’/2T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Toque de bola do Atlético no campo de ataque, Juanfran cruzou, Arda Turan cabeceou, Schwarzer defendeu, mas a bola sobrou para ele mesmo, que tocou para as redes.

Curiosidade

Atlético de Madrid é a melhor defesa da competição, com apenas seis gols sofridos. Segue sendo o único time invicto. Desde 2008, ninguém leva o título de forma invicta.

Ficha técnica

Chelsea 1×3 Atlético de Madrid

Chelsea_escudoChelsea
Mark Schwarzer; Branislav Ivanovic, Gary Cahill, John Terry e Ashley Cole (Samuel Eto’o, 9’/2T); David Luiz e Ramires; César Azpilicueta, Willian (André Schürrle, 32′/2T) Fernando Torres (Demba Ba, 22’/2T). Técnico: José Mourinho

atletico de madrid escudoAtlético de Madrid
Thibaut Courtois; Juanfran, Miranda, Diego Godín e Filipe Luís; Koke, Tiago, Mario Suárez e Arda Turan (Cristian Rodríguez, 39′/2T); Adrián López (Raúl García, 21′/2T) e Diego Costa (José Sosa, 31′/2T). Técnico: Diego Simeone

Local: Estádio Stamford Bridge,em Londres (ING)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Gols: Torres, 36’/1T, Adrián, 44’/1T, Diego Costa, 15’/2T, Arda Turan, 27′/2T
Cartões amarelos: Cahill, Diego Costa, Adrián López
Cartões vermelhos: Nenhum

LEIA TAMBÉM:

>>>> A história do recorde de Mazzola que durou por cinco décadas na Champions

>>>> Guardiola sofre a maior derrota da carreira. Hora para refletir?

>>>> O Real Madrid mostrou que estava pronto para desarmar a bomba Bayern

>>>> O Maior da história da Champions: todos os detalhes do recorde de Cristiano Ronaldo