A taça da Copa Libertadores  (AP Photo/Victor R. Caivano)

É chegada a hora: Guia da pré (ou primeira fase) da Libertadores 2014

Chamar a primeira fase de pré-Libertadores é tecnicamente errado. Já é a Libertadores, tanto que oficialmente esa fase da competição é chamada de primeira fase. A conhecida fase de grupos é chamada de segunda fase. De qualquer forma, o nome caiu no gosto popular e é o que se ouve nas ruas. E esta fase da competição sul-americana começa nesta terça-feira, com duas partidas. Trazemos uma análise de cada um dos confrontos para você se orientar, começando pelos dois jogos desta terça-feira.

Oriente Petrolero-BOL x Nacional-URU
Ivan Alonso é o artilheiro do Nacional

Ivan Alonso é o artilheiro do Nacional

Por Bruno Bonsanti

Jogos: 28/01, 20h (Brasília), Estádio Tahuichi (Santa Cruz de la Sierra-BOL); 4/02, 20h (Brasília), Estádio Centenario (Montevidéu-URU)
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo (Newell’s Old Boys-ARG, Grêmio e Atlético Nacional-COL)
Confrontos históricos: Seis jogos, uma vitória do Oriente Petrolero e cinco do Nacional

O mapa da mina do Oriente Petrolero

O Oriente Petrolero contratou o meia espanhol Juan Quero, de 29 anos, e o o atacante uruguaio Eduardo Martínez, que estava na Letônia, além de locais como Ronald Raldes, Gualberto Mojica e Alejandro Meleán. Eles reforçam o time do técnico uruguaio Tabaré Silva, que foi vice-campeão do Clausura 2012/13 e por isso disputa a Copa Libertadores pela primeira vez desde 2011.

No torneio seguinte, o Apertura de 2013/14, não foi tão bem, muito em função de ter utilizado um time juvenil porque os principais jogadores fizeram greve por conta de salários atrasados. Ficou na oitava posição, com apenas sete vitórias em 22 jogos.

A dupla de ataque mostrou entrosamento no segundo semestre de 2013, com Alcides Peña tendo marcado oito vezes em 13 jogos, e Yasmani Duk, sete em 16.

O clube de Santa Cruz de la Sierra perdeu do Nacional Potosí por 3 a 1, no último sábado, e sofreu sua primeira derrota no Clausura, após ter estreado ganhando do Guabirá, por 3 a 2.

O mapa da mina do Nacional

A grande novidade no Nacional é a contratação do técnico Gerardo Pelusso, que liderou a campanha horrível da seleção paraguaia nas Eliminatórias Sul-Americanas, lanterna com apenas três vitórias em 16 jogos. Ele retornou ao clube que dirigiu entre 2007 e 2009 e pelo qual foi campeão nacional na temporada 2008/09. Terceiro no Apertura e quarto no Clausura de 2012/13, o clube de Montevidéu classificou-se para a Libertadores com a melhor pontuação agregada dos dois torneios.

A primeira meta de Pelusso é recuperar a moral do time, que perdeu o título do Apertura da atual temporada na última rodada, após ser derrotado pelo pequeno Fénix, 13º colocado, em casa, resultado que o deixou a dois pontos do campeão Danubio.

A segunda é lidar com a suspensão de cinco jogadores envolvidos em uma briga durante um clássico de pré-temporada contra o Peñarol, na semana passada, que não podem atuar em partidas no Uruguai por dois meses. Eles devem ser utilizados no jogo de ida, em Santa Cruz de la Sierra, mas são desfalques para a volta, no Estádio Centenário.

O meia Rinaldo Cruzado, ex-Newell’s Old Boys e da seleção peruana, pode começar jogando pelo time de Pelusso, que tem dúvidas sobre o titular no gol. A meta vem sendo propriedade de Jorge Bava, 32 anos, mas Gustavo Munúa, 36, chegou da Fiorentina para brigar pela posição. A certeza é que Iván Alonso, um dos três artilheiros do Apertura do ano passado com 11 gols, vai liderar o ataque.

Morelia-MEX x Independiente Santa Fe-COL
Omar Pérez é um dos destaques do Independiente Santa Fe

Omar Pérez é um dos destaques do Independiente Santa Fe

Por Leandro Stein

Jogos: 28/janeiro, 23h15, no Estádio Morelos (Morelia-MEX); 4/fevereiro, 23h30, no Estádio El Campín (Bogotá-COL)
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo 5 (Atlético Mineiro-BRA, Nacional-PAR, Zamora-VEN)
Confrontos anteriores: Nunca se enfrentaram

O mapa da mina do Morelia

O Morelia vive um ciclo vicioso: consegue boas campanhas na temporada regular da Liga MX, mas naufraga nos mata-matas. Olhando no papel, o elenco é forte, mas os Monarcas precisam descobrir seu espírito copeiro. Talvez por isso mesmo o clube tenha trazido tantos rodados em clubes sul-americanos. A consistência defensiva é dada por Arévalo Rios e Felipe Baloy, veteranos importantes para recompor um sistema que perdeu a liderança do goleiro Federico Vilar. Já no ataque, a presença de área de Héctor Mancilla e a habilidade de Jefferson Montero ganharam companhia da potência física de Duvier Riascos, um trio que combina características importantes para enfrentar um adversário bastante compacto sem a bola. Um desafio a superar, porém, é a mudança no comando técnico ocorrida nesta semana: Carlos Bustos saiu pelos maus resultados no início do ano e chegou Enrique de la Torre, que prometeu dar atenção à Libertadores – o que nem sempre acontece no México.

O mapa da mina do Independiente Santa Fe

Semifinalista da Libertadores 2013, o Santa Fe manteve a espinha dorsal de sua equipe, mesmo com algumas perdas pontuais. O time caiu de produção a partir de novembro, mas mesmo assim chegou às semifinais do Clausura. E se reforçou bem para a competição continental, com nomes tarimbados como Édison Méndez, Jonathan Copete e Luis Seijas. O protagonista do time é Omar Pérez, meia de ótima visão de jogo. O argentino ainda recuperou a companhia de Wilder Medina, atacante veloz e oportunista, que passou os últimos meses emprestado ao Barcelona de Guayaquil. Com a dupla, o setor ofensivo possui suas principais armas, perigoso nos contragolpes e nas bolas paradas. Já atrás, a defesa foi o setor que mais perdeu consistência, mas espera manter seus bons números apoiada no bom goleiro Camilo Vargas e no promissor zagueiro Francisco Meza.

Sporting Cristal x Atlético Paranaense
Marcelo comemora o gol pelo Atlético Paranaense: destaque do Furacão

Marcelo comemora o gol pelo Atlético Paranaense: destaque do Furacão

Por Felipe Lobo

Jogos: 29 de janeiro, 22h, no estádio San Martín de Porres (Lima-PER), 5 de fevereiro, 22h, na Vila Capanema (Curitiba-BRA)
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo 1 com Vélez Sarsfield, Universitário-PER e The Strongest-BOL
Confrontos históricos: Nunca se enfrentaram

O mapa da mina do Sporting Cristal

O time de Ahmed jogará no 4-4-2, uma mudança no esquema do time que jogava no 4-3-3 na temporada passada. O esquema é clássico: duas linhas de quatro e dois atacantes. Na linha defensiva, dois laterais que atacam, Advíncula e Yotún. Yotún tem 23 anos e é o mesmo que atuava pelo Vasco em 2013. É da seleção peruana e já tem mais de 100 jogos com a camisa do Sporting Cristal. Advincula, de 23 anos, pertence ao Hoffenheim e estava emprestado à Ponte Preta na temporada passada. Também já passou pelo Sporting Cristal rapidamente por empréstimo antes, em 2012. Também é jogador da seleção peruana. Adán Balbín e Marcos Delgado, são os zagueiros.

No meio-campo, são dois volantes e dois meias abertos. Na marcação, Paolo De la Haza e Jorge Cazulo são os responsáveis por bloquear os ataques adversários, já que um dos nomes importantes do time, o experiente Carlos Lobatón, da seleção peruana, deve ficar fora por lesão. Pelos lados, Mazimiliano Núñez e Horacio Calcaterra fazem a criação das jogadas ofensivas da equipe.

No ataque, Junior Ross tentará usar a sua velocidade para ajudar o centroavante e artilheiro Írven Ávila, que marcou 22 gols em 44 jogos em 2013. A aposta é o entrosamento entre os dois, já que estão juntos no time desde 2012. Os gols de Ávila dão esperança aos torcedores do Sporting Cristal.

O mapa da mina do Atlético Paranaense

Depois da histórica campanha no Campeonato Brasileiro, o Furacão chega à Libertadores diferente do time que terminou a temporada passada. Especialmente por dois motivos: as saídas de Paulo Baier, que não acertou a renovação, e do técnico Vagner Mancini, um dos responsáveis pela excelente campanha que culminou com o terceiro lugar na tabela. Saíram também o lateral direito Léo e o meia Éverton. Vieram Paulinho Dias, volante, 25 anos, ex-Chapecoense, e Suéliton, lateral direito, 27 anos, ex-Criciúma. O técnico agora é o espanhol Miguel Angel Portugal, 58 anos, que tem experiência na América do Sul por ter trabalhado no Bolívar nas temporadas 2012 e 2013, onde foi campeão boliviano.

Uma das armas do Atlético é Ederson. Foram 47 jogos e 25 gols marcados, sendo 21 deles no Campeonato Brasileiro e quatro na campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil. Mas o grande nome do Atlético não é um artilheiro. Marcelo é o destaque, com habilidade, força e talento. Ederson é a veia goleadora do time, mas é Marcelo o grande responsável por grandes jogadas. Miguel Ángel Portugal ainda aposta no compatriota Fran Mérida para ser o protagonista na armação do time – o que, cá entre nós, parece ser uma aposta bastante contestável, para dizer o mínimo.

Botafogo x Deportivo Quito
Jorge Wagner é um dos contratados do Botafogo para a temporada

Jorge Wagner é um dos contratados do Botafogo para a temporada

Por Leandro Stein

Jogos: 29/janeiro, 22h, no Estádio Olímpico Atahualpa (Quito-EQU); 5/fevereiro, 22h, no Maracanã (Rio de Janeiro-BRA)
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo 2 (San Lorenzo-ARG, Unión Española-CHI e Independiente del Valle-EQU)
Confrontos anteriores: Nunca se enfrentaram

O mapa da mina do Botafogo

O Botafogo possui muitos contornos da equipe que conquistou o quarto lugar no Brasileirão. No entanto, os alvinegros ainda tentam se refazer da perda de seus dois maiores líderes, Oswaldo de Oliveira e Seedorf. E, por isso mesmo, o jogo da pré-Libertadores se coloca tão importante: será o primeiro grande desafio à reconfiguração do time. E, nesse processo, Jorge Wagner será fundamental. O novo maestro aumenta o poder de fogo nas bolas paradas, assim como a chegada do centroavante Ferreyra, vice-campeão no ano passado com o Olimpia – que, neste primeiro momento, deve ficar no banco de Elias. Lodeiro, tarimbado pelos desafios em Quito pelas Eliminatórias, é outro que ajudará bastante a ditar o ritmo no ar rarefeito. Além disso, a reforçada cabeça de área, que conta com Renato, Marcelo Mattos, Bolatti e Rodrigo Souto à disposição, será importante no combate no meio-campo e para diminuir as exigências a Jefferson, que vive excelente fase.

O mapa da mina do Deportivo Quito

O Deportivo Quito conquistou sua vaga na Libertadores por ser o terceiro time que mais somou pontos no Campeonato Equatoriano. O problema é que a reta final da campanha dos azulgranas não inspira muita firmeza, com apenas quatro vitórias desde setembro. Em crise financeira, o clube perdeu 14 jogadores nas últimas semanas, muitos deles importantes, como Jorge Guagua, Fabián Carini e Federico Nieto, autor de 28 gols na última liga. E, para piorar, são vários os desfalques por lesão. Assim, com tantos percalços, será natural que o Deportivo aposte mais no ambiente do que na própria consistência. A altitude de Quito e a pressão no Estádio Olímpico Atahualpa são armas poderosas para o jogo de ida. E o técnico Juan Carlos Garay pretende abusar da velocidade para sair com a vantagem contra o Botafogo. Os meias Christian Lara e Carlos Feraud, principal contratação do ano, serão os responsáveis para que os planos do treinador sejam postos em prática.

Universidad de Chile x Guaraní
Isaac Diáz, artilheiro da Universidad de Chile

Isaac Diáz, artilheiro da Universidad de Chile

Por Bruno Bonsanti

Jogos: 30/01, 20h, Estádio Nacional (Santiago-CHI); 06/02, 19h30, Estádio Rogelio Livieres (Assunção-PAR)
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo 5 (Cruzeiro, Defensor-URU e Real Garcilaso-PER)
Confrontos históricos: Quatro jogos, dois empates e uma vitória de cada lado

O mapa da mina da Universidad de Chile

Depois de duas derrotas seguidas no Torneio Clausura do Campeonato Chileno, o técnico Marco Antonio Figueroa foi demitido do comando da Universidad de Chile e substituído por Cristián Romero, campeão nacional pelo clube em 1995 como jogador.

De primeira, o novo treinador goleou o Ñublense, no último domingo, por 5 a 0, e agora La U está em sexto lugar com duas vitórias em quatro rodadas. No fim de semana, estreou o principal reforço para 2014, o ex-zagueiro do Boca Juniors, Matías Caruzzo. Ele perdeu o meia Charles Aranguíz, um dos principais destaques do time nos últimos anos, que foi negociado com o Internacional, mas terá o atacante Isaac Diáz, artilheiro do time no Apertura de 2013, e o meia Gustavo Lorenzetti. O goleiro Johnny Herrera e o meia Rodrigo Rojas são desfalques.

A Universidad de Chile pode não ter mais a força de quando foi campeã da Copa Sul-Americana de 2011, sob a supervisão de Jorge Sampaoli, atual técnico do Chile, mas fez um bom segundo semestre ano passado. Ficou em quarto lugar no Apertura e superou o Palestino e o Deportes Iquique na Liguilla, uma espécie de repescagem que dá vaga para a Copa Libertadores.

O mapa da mina do Guaraní

O Guaraní perdeu um dos seus principais jogadores para o seu retorno à Copa Libertadores, após duas edições afastado. O clube que já foi dez vezes campeão paraguaio não terá o atacante Derlis González, vice-artilheiro do Torneio Clausura de 2013, com 12 gols, cinco a menos que Rodrigo López, do Sportivo Luqueño, que contratou o brasileiro Rodrigo Teixeira, outra baixa do time do técnico Fernando Jubero. O goleiro Pablo Aurrecochea e o lateral esquerdo Elvis Marecos também saíram. Por outro lado, o volante uruguaio Marcelo Palau, que estava no Atlético Paranaense, retornou.

O Guaraní conseguiu vaga no torneio sul-americano por ter sido o melhor pontuador da última temporada, sem contar os dois campeões, e aposta no jovem atacante Fernando Fernández. O jovem de 21 anos jogou poucos minutos no Clausura de 2013, mas marcou cinco vezes em cinco partidas. Neste ano, já balançou as redes na vitória por 2 a 0 sobre o Luqueño, em amistoso preparatório para a Libertadores, já que o Campeonato Paraguaio só começa na metade de fevereiro.

Caracas-VEN x Lanús-ARG
Santiago Silva, centroavante do Lanús

Santiago Silva, centroavante do Lanús

Por Felipe Lobo

Jogos: 30 de janeiro, 23h15, em Caracas, e 6 de fevereiro, 23h, em Lanús
Em que grupo o vencedor cairá: Grupo 3 com Cerro Porteño, O’Higgins-CHI e Deportivo Cali
Confrontos históricos: dois jogos, 1 empate, 1 vitória do Caracas

O mapa da mina do Caracas

O Caracas terminou em segundo lugar no Apertura, que terminou em dezembro, e trouxe dois reforços para a Libertadores que são os trunfos do técnico Eduardo Saragó para o confronto com o Lanús: o zagueiro argentino Roberto Tucker e o atacante Emilio Rentería (não, não é aquele, ex-Inter, é outro).

Tucker tem 30 anos e jogava pelo Sarmiento, da segunda divisão argentina e chegou a jogar no Leixões, de Portugal. Chega para dar mais experiência para a zaga e é muito forte no jogo aéreo – tanto que marcou seis gols na primeira metade da temporada. Emilio Rentería tem história no clube. Foi campeão nacional em 2008/09, antes de seguir a carreira no Columbus Crew, dos Estados Unidos. No primeiro semestre de 2013, defendeu o Defensor, do Uruguai.  Aos 29 anos, é ele quem deve ser a força ofensiva do Caracas, o que não é exatamente uma boa notícia, porque ele não vem em boa fase. A chance do Caracas eliminar o Lanús passa por com seguir vencer o primeiro jogo e atuar por um contra-ataque ou uma bola parada no jogo de volta. E inevitavelmente contar com a sorte.

O mapa da mina do Lanús

O Lanús é um time experiente, que conta com alguns jogadores capazes de segurar a onda em uma situação complicada. E, convenhamos, o time é campeão da Sul-Americana, o que não credencia a ganhar a Libertadores, mas também não pode ser desprezado. O time tem dois jogadores que foram vice-campeões pelo Boca Juniors em 2012: o volante Somoza e o atacante Santiago Silva. Lautaro Acosta, outro atacante, é outro ex-Boca, mas revelado pelo Lanús e identificado com o clube, para o qual voltou em 2013. O ataque é completado por Benítez, que joga pelo lado esquerdo.

Um ponto forte do time é a defesa. O goleiro Agustín Marchesín está consolidado e a linha formada por Carlos Araújo, Paolo Goltz, Carlos Izquierdoz e Maximiliano Velázquez é bastante confiável. O time joga com um tridente no meio-campo, com Somoza como principal homem de marcação e Víctor Ayala e Diego González completando. O técnico Guillermo Barros Schelotto estreia na Libertadores no cargo, mas como jogador acumulou experiência que certamente será útil para a equipe neste momento.