Ter um time fraco tecnicamente e distante de ser competitivo diante das melhores seleções do mundo passou a ser uma preocupação secundária da Rússia. Em meio à dolorosa eliminação na primeira fase da Copa das Confederações que acontece no país, outra notícia é ainda mais preocupante: a Fifa investiga todo o elenco de 23 jogadores que esteve na Copa do Mundo do Brasil em 2014 por doping. É só uma investigação, mas deve trazer ainda mais problemas para o país, que sedia a Copa do Mundo 2018.

LEIA TAMBÉM: Rússia vive um vexame com um time fraco e com perspectivas ruins para Copa 2018

A Rússia foi eliminada na fase de grupos da Copa do Mundo de 2014 e o elenco de 23 jogadores que foram ao Brasil estão entre os 34 jogadores de futebol investigados pela Fifa. Cinco dos 23 jogadores testados em 2014 estão no elenco da Rússia eliminada neste sábado da Copa das Confederações.

Um doping patrocinado pelo Estado foi descoberto na Rússia e implicou punições aos atletas do país na Olimpíada de 2016. Toda a equipe de atletismo, por exemplo, foi banida da competição. Esta é a primeira vez desde que as investigações deflagraram o escândalo que jogadores de futebol do mais alto nível estão envolvidos nas suspeitas. Não há qualquer prova, até este momento, que algum jogador tenha violado alguma regra antidoping.

Segundo o Mail On Sunday, os jogadores do elenco da Rússia na Copa 2014 estão entre os 1.000 suspeitos investigados. “A Fifa ainda está investigando as alegações feita contra os jogadores”, disse um representante da entidade ao veículo britânico.

O Mail On Sunday também consultou Dick Pound, ex-chefe da Agência Mundial Antidoping (Wada), que falou sobre a importância da Fifa agir rápido sobre o assunto. “Há um enorme ônus para a Fifa chegar a uma conclusão sensível nestas questões antes da Copa do Mundo acontecer. Cabe a eles dizerem quais passos estão sendo tomados, o que eles encontraram e tomar qualquer ação que for necessária para proteger a integridade do esporte. Mesmo em um órgão com tão pouca credibilidade restante como a Fifa, se você é um dirigente de alto escalão, você não quer fazer parte de um órgão que ignora isso”, afirmou.

“Houve uma negação institucional no doping no futebol por anos… Eu vi muitas apresentações da Fifa, direto da terra da fantasia, sobre como eles não têm problema. Eles precisam muito levar este caso de forma séria”, disse ainda Pound.

A Rússia ficou sob suspeita desde a publicação de dois relatórios comissionados pela Wada e autorizado pelo advogado canadense Richard McLaren. A investigação mostra que ao menos 1.000 pessoas foram ajudadas pelo que o relatório chama de “manipulação institucionalizada do processo de controle de doping na Rússia”. Mais de 200 dos investigados teriam competido no atletismo e outros 13 esportes teriam ao menos 10 atletas implicados.

Será que a Fifa vai resolver o caso antes da Copa do Mundo?