Robinho comemora gol em amistoso contra o Chile, em 19 de novembro (Foto: MOWA PRESS)

Eles entraram no álbum de figurinhas, mas não foram à Copa do Mundo

O álbum de figurinhas é sempre uma das coisas mais esperadas do ano de Copa do Mundo. E algo que sempre acontece é termos jogadores que entrarão no álbum, mas não virão para a Copa no Brasil. É normal, inevitável que aconteça. Acontece em todas as Copas, com vários jogadores, porque é impossível fazer o álbum só depois de saírem os convocados finais de cada uma das 32 seleções. Então, um ou outro acaba ficando fora do álbum e dentro da Copa, e outros tantos entram no álbum, mas não na Copa Lembremos alguns casos. Robinho, parece, será o nome brasileiro que estará no álbum, mas provavelmente não estará na Copa.

Robinho faz uma temporada bastante apagada no Milan. São 29 jogos até aqui, com cinco gols e quatro assistências. Nos últimos dois jogos, contra Parma e Lazio, ficou no banco. Tinha até ganhado fôlego com a contratação de Seedorf, tornando-se titular no esquema usado pelo técnico, mas perdeu espaço com as atuações fracas. De todos os jogos do Milan na temporada, em oito ele estava machucado.

Nada que chame muito a atenção. Mesmo assim, ele foi convocado para a seleção brasileira em novembro de 2013. E pior: fazia sentido. Luiz Felipe Scolari procurava um atacante. Fred, machucado, estava fora, Jô era a primeira opção e o treinador da seleção queria uma alternativa de atacante que não fosse um centroavante típico, mas pudesse fazer essa função eventualmente.

O atacante, ex-Santos, foi escolhido porque vinha jogando assim no Milan, mas principalmente porque é um jogador com histórico na seleção. Convocado, esteve em campo nos jogos contra Honduras e Chile, entrando nos dois jogos no segundo tempo. Marcou um gol de cabeça contra o Chile, uma das suas vítimas preferidas.

Pela seleção, que defende desde 2003, Robinho tem 80 jogos, com 27 gols marcados. Foi o principal jogador da seleção durante a gestão de Dunga, logo após a Copa de 2006. Tornou-se não só o titular, mas o destaque, marcando muitos gols e sendo decisivo na conquista da Copa América de 2007, nas Eliminatórias e na Copa das Confederações de 2009. Depois da Copa, esteve no grupo de Mano Menezes até a Copa América de 2011, mas suas atuações na seleção já não eram grande coisa e no clube menos ainda. Perdeu espaço. A chance só voltaria a vir em novembro de 2013.

Pelo andar da carruagem, só mesmo uma contusão pode fazer com que Robinho entre no grupo que disputará a Copa. Na impossibilidade de usar Fred ou Jô, por exemplo, Felipão pode pensar nele. Pode, no condicional mesmo. Então, é mais provável que ele seja mesmo que ele integre a lista de jogadores que entraram no álbum, mas não na Copa. Historicamente, isso acontece. Relembre alguns:

Copa de 1970

Dirceu Lopes esteve no álbum, mas não foi para a Copa do Mundo que o brasil levou o tri.

Copa de 1974

Felix, Carlos Alberto, Marinho, Clodoaldo, Carbone e Palinha estavam no álbum de figurinhas, mas não chegaram a ir à Copa da Alemanha.

Copa de 1978

Zé Maria, do Corinthians, Luis Pereira, ex-Palmeiras, Paulo César Caju e Raul Plasmann estavam no álbum, mas não foram à Copa do Mundo na Argentina.

Copa de 1982

O ponta Zé Sérgio entrou no álbum, mas não foi à Copa da Espanha.

Copa de 1986

Renato Gaúcho e o lateral Leandro, cortados por indisciplina, estiveram no álbum, mas não foi ao México. O ponta Éder Aleixo também estava no álbum e não foi à Copa.

Copa de 1990

Incrivelmente, todos do álbum estavam na Copa.

Copa de 1994

Ricardo Gomes estava no álbum, mas foi cortado por lesão. Palhinha, aquele mesmo que jogou no São Paulo e no Cruzeiro, estava no álbum e realmente participou das Eliminatórias, mas não foi para a Copa. Evair, atacante do Palmeiras, também virou figurinha da Copa, mas não foi ao Mundial dos Estados Unidos.

Copa de 1998

Naquele álbum, Flávio Conceição entrou no álbum, mas acabou fora da Copa por causa de uma lesão – o que levou Zagallo a convocar Zé Carlos, lateral do São Paulo, que fez só um jogo com a camisa do Brasil: a semifinal contra a Holanda, quando foi mal. Mauro Silva e Romário, ambos campeões em 1994, também estavam no álbum, mas não foram para a Copa.

Copa de 2002

Antonio Carlos Zago esteve no álbum, mas não passou nem perto de ir para a Copa. Zé Roberto chegou a estar na seleção, assim como Zago, mas não teve espaço no time especialmente no último ano antes da Copa. Não foi para o Mundial, assim como Mauro Silva, volante campeão em 1994. Felipão não teria gostado do seu pedido de dispensa da Copa América de 2001, na Colômbia, que vivia sérios problemas de segurança na época.

Copa de 2006

Renato, meio-campista ex-Santos e então defendendo o Sevilla, teve várias oportunidades sob o comando de Carlos Alberto Parreira no ciclo para a Copa do Mundo de 2006. Acabou não indo à Copa. Mas pintou no álbum de figurinhas do Mundial. Roque Júnior, remanescente de 2002, foi incluído, mas não esteve no torneio, assim como Júlio Baptista, outro que teve figurinha.

Copa de 2010

Ronaldinho e Adriano estavam no álbum pelo Brasil. O primeiro não tinha chance, quase não era convocado e acabou sendo uma aposta da Panini para vender mais figurinhas, torcendo, claro, para que o técnico brasileiro mudasse de ideia, o que não aconteceu. Adriano estave na última convocação, mas a sua forma pelo clube, os problemas pessoais e toda a confusão que conhecemos o tiraram da Copa.

Eles estão no álbum, mas não se sabe se virão à Copa

David Villa
Espanha

O atacante do Atlético de Madrid vem fazendo uma temporada boa, mas com algumas lesões preocupantes. Além disso, perdeu espaço na seleção para jogadores como Álvaro Negredo, por exemplo, além de ter uma forte concorrência de Diego Costa, brasileiro naturalizado que estreou pela seleção no último dia 5 de março, Fernando Llorente, que vem jogando bem na Juventus, Roberto Soldado, que não vem muito bem no Tottenham, mas esteve na Copa das Confederações, e Fernando Torres, que mesmo sem fazer uma temporada brilhante, ainda é um nome que conta com certa confiança do treinador. Em resumo: tarefa dura do Villa estar no Brasil.

Kevin Strootman
Holanda

É,esse dá para garantir: não estará no Brasil na Copa do Mundo. O jogador se machucou com gravidade em um jogo pela seleção, agravou a lesão em jogo pela Roma e rompeu os ligamentos cruzados do joelho, o que significa ao menos seis meses de recuperação. Ou seja: o volante holandês não virá mesmo ao Mundial.

Radamel Falcao García
Colômbia

O centroavante ainda não tem ausência confirmada, já que faz um trabalho de recuperação forte. Mesmo assim, sua presença na Copa do Mundo é bastante improvável. O jogador do Monaco seria uma das estrelas da Copa e por isso a sua ausência é bastante sentida. Mas ele está lá no álbum e iremos colecionar a sua figurinha.

Giuseppe Rossi
Itália

O atacante se contundiu no início do ano, em janeiro, mas, como sempre, suas lesões são bastante complicadas. Foi novamente o joelho do atacante que sofreu uma lesão do ligamento cruzado anterior, o que leva seis meses, no mínimo, para se recuperar. A Copa começa no dia 12 de junho, a contusão foi no dia 5 de janeiro. Sim, é possível, mas ficará bem em cima da pinta. É possível que o atacante venha ao Brasil, ainda que não esteja 100%.

Sami Khedira
Alemanha

Contundido no dia 16 de novembro em um jogo da seleção alemã contra a Itália, Khedira tem previsão de volta ainda nesta temporada. A sua contusão é a mesma dos anteriores: rompeu o ligamento cruzado do joelho. O Real Madrid espera que o volante volte a jogar ainda nesta temporada, mas ainda há dúvidas. Além de ser difícil prever o tempo de recuperação de uma lesão tão séria – há quem diga que ele só teria condições de jogar em julho, por exemplo. Deve vir à Copa, mas dificilmente estará 100% recuperado.