As animosidades que antecederam o duelo entre Getafe e Real Madrid não se refletiram em campo e as equipes fizeram uma bela partida neste domingo no estádio Alfonso Pérez. Com duas equipes em busca do gol, o placar de 1 a 1 acabou sendo justo.

Antes da partida, o presidente do Getafe, Ángel Torres, afirmou que tem acesso às contas do Real Madrid e que a dívida do clube seria de cerca de chr(128) 500 milhões, número muito maior que o anunciado. A declaração ganha força pelo fato de Torres ser sócio do clube de Chamartín. A diretoria ‘merengue’ rebateu as acusações, negou que tenha tantas dívidas e enviou apenas seu diretor de futebol, Emilio Butragueño, à cidade de Getafe, na região metropolitana de Madri.

Em campo, o Getafe mostrou ousadia e partiu para o ataque desde o início. Porem, a primeira grande chance foi com Julio Baptista. Em seguida, os ‘azulones’ criaram duas grandes oportunidades, ambas salvas por Casillas. Júlio Baptista teve nova oportunidade e venceu Luís García, mas Pulido salvou quase em cima da linha.

No segundo tempo, a dinâmica continuou a mesma, mas os gols saíram. Aos 16 minutos, Júlio Baptista, sempre perigoso vindo de trás, recebeu lançamento e tocou na saída de Luís García. A partir daí, a pressão getafista se intensificou e o empate só demorou a surgir devido à grande atuação de Casillas.

De qualquer maneira, o goleiro não pôde evitar a igualdade aos 37 minutos. Após cruzamento na área, Tena desviou levemente a bola, tirando o goleiro madridista da jogada. Casillas poderia ter ido com mais segurança na jogada, mas a defesa como um todo também falhou. No final, as duas equipes ainda criaram algumas oportunidades, mas não tiveram sucesso.

O resultado mantém as poucas esperanças do Getafe de buscar uma vaga na Copa Uefa. Porém, foi ruim para o Real Madrid, que cedeu terreno ao Valencia na luta pelo vice-campeonato. No momento, os valencianos têm 62, contra 60 do Real e 59 do Osasuna.