O Torino encurtou as distâncias no Derby della Mole durante as últimas temporadas. Há dois anos encerrou o jejum no clássico, que durava duas décadas, e outras vezes dificultou a vida da Juventus. Ainda que os bianconeri tenham conquistado algumas vitórias amplas, passaram a respeitar mais os rivais. Neste sábado, entretanto, a Velha Senhora não tomou conhecimento do Toro no Juventus Stadium. O time de Massimiliano Allegri fez a sua partida mais imponente em 2017/18, detonando os grenás, até então invictos na Serie A. Goleada por 4 a 0, em que uma expulsão ainda no primeiro tempo minou as chances dos visitantes, mas não diminui o valor do bombardeio dos juventinos, que poderiam ter feito ainda mais.

Miralem Pjanic e Paulo Dybala, sobretudo, lideraram o show da Juventus. Ambos tiveram participação decisiva já no primeiro gol, quando o Torino ainda tentava equilibrar as ações. Aos 16 minutos, o bósnio roubou a bola após passe ruim de Daniele Baselli e o argentino arrancou, finalizando da entrada da área. E se a situação já parecia difícil ao Toro, piorou ainda mais aos 24 minutos. Não era a noite de Baselli. Além do erro capital, o meio-campista tomou dois cartões amarelos fúteis, indo para o chuveiro mais cedo. Dominante, a Velha Senhora ampliou aos 40. Juan Guillermo Cuadrado ajeitou para Pjanic acertar belo chute de fora da área.

Já no segundo tempo, quando muitos poderiam esperar uma Juventus mais contida, diante do cenário, os anfitriões partiram para o baile. O time trabalhava a bola com enorme propriedade, orquestrado por Pjanic. E as chances iam surgindo aos montes. O segundo gol veio aos 12, mais uma vez com a participação de Pjanic. O bósnio cobrou escanteio para Alex Sandro completar de cabeça no primeiro pau. Depois, os bianconeri passaram a martelar incessantemente. Salvatore Sirigu operou uma série de milagres, Mario Mandzukic acertou a trave, teve bola salva em cima da linha. O quarto gol coube a Dybala, nos acréscimos. Pjanic iniciou o lance, Gonzalo Higuaín girou e a bola sobrou para o camisa 10 desviar com categoria às redes.

Dybala, aliás, mais uma vez merece destaque pelo excelente início na Serie A. O argentino atravessa um momento fabuloso, somando 10 gols nas primeiras seis rodadas da competição. Anotou mais da metade dos tentos do time e demonstra uma confiança imensa, se aproximando mais da área. Neste sábado, Allegri optou por começar com Higuaín no banco, alinhando uma dupla com Dybala e Mandzukic. O camisa 10 teve liberdade para se movimentar, abrir espaços e finalizar. Foram 10 arremates durante os 90 minutos, seis de fora da área.

Ao término da rodada de sábado, a Juventus permanece disputando a liderança cabeça a cabeça com o Napoli. As duas equipes mantiveram os 100% de aproveitamento e dividem a ponta da tabela com 18 pontos, com vantagem aos celestes no saldo de gols – embora na Itália, vale lembrar, o primeiro critério de desempate seja o confronto direito. Agora, a Velha Senhora se volta a outros compromissos. Na próxima quarta, recebe o Olympiacos pela Champions, tentando se recuperar da derrota para o Barcelona na estreia. A atuação no dérbi deixa a expectativa de outra goleada. O Torino, por sua vez, tenta colocar a cabeça no lugar. Apesar do atropelamento, os grenás rondam a zona de classificação às copas europeias, com 11 pontos.