O Grêmio conquistou uma vitória maiúscula na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, ao derrotar o Cruzeiro, outro candidato ao título, no Mineirão, por 1 a 0, gol de André. O encontro entre duas grandes equipes criou expectativa para este sábado, mas a partida, embora bem jogada, não correspondeu em termos de emoção.

LEIA MAIS: Estaduais sequer produziram um favorito para o Campeonato Brasileiro

Há pouco a relatar sobre o primeiro tempo. As duas equipes trataram bem a bola, mas o Grêmio atingiu 70% de posse, sem conseguir dar um chute certo a gol. O Cruzeiro, mais recuado e preocupado com a defesa, estratégia já manjada de Mano Menezes, também não acertou o alvo nenhuma vez.

Os adversários se soltaram um pouco mais depois do intervalo. Léo precisou cortar a cabeçada de Ramiro, responsável pela grande jogada do único gol da partida. Com um toque esperto, o meia passou por Egídio e cruzou com consciência para a primeira trave, onde Éverton desviou para trás. André apareceu para marcar seu primeiro gol com a camisa do Grêmio.

 

Marcelo Grohe impediu o empate do Cruzeiro, defendendo o chute cruzado de Thiago Neves, que recebeu o passe entre os zagueiros do Grêmio. No outro lado, Éverton rabiscou da esquerda para o meio e exigiu boa intervenção de Fábio. O restante do jogo ficou condicionado pela expulsão justa de Kanneman, que de um carrinho perigoso em Arrascaeta, na entrada da área. Os gremistas reclamam, com razão, que Ariel Cabral deveria ter levado o cartão vermelho anteriormente por um lance parecido no meio-campo.

 

O Cruzeiro esboçou uma pressão no fim, com duas boas situações de gol. Um chute cruzado de Arrascaeta, já nos acréscimos, passou perto da trave, e Grohe bloqueou Mancuello, no último ato significativo da partida. Como poucas equipes devem conseguir sair do Mineirão com os três pontos contra o Cruzeiro, o Grêmio começa sua campanha com um incrível resultado fora de casa.

Mais Brasileirão:

Dez jogadores que aproveitaram os Estaduais para chegarem em alta ao Brasileirão

Treze dos 20 clubes da primeira divisão ainda não lançaram camisa para o Brasileirão

Dilema do Brasileirão: técnicos ficam porque são campeões ou são campeões porque ficam?