Com o título conquistado por antecipação pelo Benfica e todas as vagas para as competições europeias já definidas, a última rodada do Campeonato Português volta suas atenções – e emoções – à briga contra o rebaixamento. Três times estão envolvidos na disputa: Belenenses, Paços de Ferreira e Olhanense. Destes, um escapará, outro disputará o playoff de repescagem e o último terá a queda decretada para a segunda divisão. Todos eles entram em campo neste sábado (10), no mesmo horário (12h, de Brasília), contra adversários que já não almejam mais nada na competição.

Em momentos com este, dramáticos para um clube, não é apenas o jogo em si que pode determinar se a degola irá ou não acontecer. Há muitos outros fatores envolvidos. A tradição da equipe, o peso da camisa, a força da torcida e a tranquilidade (ou a falta dela) no ambiente interno são alguns deles. Assim, não faltam vídeos motivacionais e promoções para tentar atrair mais gente ao estádio.

A situação mais confortável é a do Belenenses, único que depende apenas de si para escapar. Atual 14º colocado, com 25 pontos, o time recebe o Arouca e, se vencer, estará garantido na primeira divisão da próxima temporada – o que faria a competição contar com todos os clubes que já a conquistaram: Benfica, Porto, Sporting, o próprio Belenenses e o Boavista, que tem retorno confirmado.

O time da cruz de Cristo é o que soma menos vitórias no campeonato – apenas cinco. Se triunfar sobre o Arouca, será a primeira vez que conseguirá três resultados positivos num intervalo de cinco partidas. Para ter o maior apoio possível vindo das arquibancadas, o clube anunciou que todos os torcedores entrarão de graça no estádio do Restelo, desde que retirem o ingresso antecipadamente e compareçam vestidos com a camisa do time.

Este vídeo, divulgado no site oficial, dá o tom da importância do momento e da tradição dos azuis, campeões nacionais na temporada 1945/46. O homem que aparece saindo do banco de reservas no final do vídeo é Lito Vidigal, o técnico da equipe.

Assim como seu rival de Lisboa, o Paços de Ferreira também jogará em casa e espera contar com o apoio da torcida no duelo contra a Acadêmica. Mas, nos últimos dias, foram os próprios torcedores quem trouxeram dor de cabeça aos pacenses. Inconformados com o empate por 0 a 0 frente ao Rio Ave, na última rodada, os adeptos cercaram o ônibus da delegação e causaram momentos de tensão a jogadores e membros da comissão técnica.

A indignação (e não a violência) é fácil de compreender. Os castores são uma das grandes decepções da temporada no futebol português. Depois da brilhante campanha realizada no campeonato passado, em que terminou em terceiro lugar e obteve a vaga para os playoffs da Liga dos Campeões, o time faz uma campanha pífia. Está em penúltimo lugar, com 24 pontos ganhos e tem a pior defesa do campeonato, com 55 gols sofridos em 29 jogos (média de 1,8 por partida).

Se ganhar o jogo deste sábado – algo que não ocorre há cinco rodadas –, o Paços de Ferreira não será rebaixado diretamente. Na melhor das hipóteses, em caso de empate ou derrota do Belenenses, vai se garantir na Primeira Liga. Na pior, terá de disputar o playoff contra o terceiro colocado da segunda divisão.

A situação é tão séria que, pela primeira vez na temporada, o time se concentra um dia antes de um jogo disputado em casa, no estádio da Mata Real. De olho no apoio da torcida, a diretoria lançou uma promoção que dá direito a dois ingressos extras para cada sócio. E também fez um vídeo motivacional:

Quem tem a vida mais difícil é o Olhanense, último colocado e o único que jogará fora de casa entre aqueles que brigam contra o rebaixamento. O rubro-negro de Olhão tem os mesmos 24 pontos do Paços de Ferreira, mas perde no confronto direto (primeiro critério de desempate) e vai encarar o Vitória de Setúbal.

A equipe precisa ganhar o seu jogo e torcer para que pelo menos um dos dois concorrentes não vença. Nesse caso, iria para a repescagem. Se o Olhanense ganhar e tanto Belenenses quanto Paços de Ferreira não triunfarem, os Leões de Olhão se garantem na elite de maneira direta.

Se tem algo animador para a torcida – que promete comparecer com 500 pessoas em Setúbal – é o fato de o time ter vencido ninguém menos que o Porto na rodada passada. Aliás, o time soma duas vitórias nos três últimos jogos, sendo que a única derrota no período aconteceu perante o Benfica, na partida que valeu o título às águias.

Sabedor de que a agremiação que não depende apenas de si para permanecer na Primeira Liga, o técnico italiano Giuseppe Galderisi adotou um discurso óbvio, porém correto: o de o que o time tem de fazer sua parte para, pelo menos, voltar a Olhão de cabeça erguida. Como o jogo é fora de casa, não houve nenhum vídeo chamando a torcida, mas vale a pena conferir este, que foi produzido antes do duelo contra o Porto:

Os três clubes que chegam à última rodada do Campeonato Português lutando contra a queda para a Segunda Liga têm algo em comum: trocaram de técnico três vezes durante a temporada. Um bom exemplo de como a falta de planejamento – ou o planejamento não cumprido – é algo que sempre traz problemas.

Será um sábado de muitas emoções. Alguns vão sorrir. Outros vão estender a angústia até os playoffs da repescagem. E, inevitavelmente, alguém vai chorar.

Como ficou

Além do campeão Benfica, o vice Sporting e o Porto estão classificados para a Liga dos Campeões da próxima temporada – os dragões entrarão na fase de playoffs.

Na Liga Europa, Portugal será representado por Estoril, Nacional e Rio Ave. A definição das fases em que cada equipe entrará ainda depende da final da Taça de Portugal, entre Rio Ave e Benfica.

Na segunda divisão, Moreirense e Penafiel já garantiram o acesso para a elite. Por sua vez, Desportivo Aves (68 pontos) e Chaves (66) brigam pela vaga no playoff contra o penúltimo colocado da Primeira Liga. Ambos jogam também neste sábado, pela úl