Em uma semana na qual a França tropeçou contra Luxemburgo, todo cuidado era necessário contra as seleções nanicas. Mas o raio não cairia outra vez em Vaduz. A Espanha teve uma atuação para não deixar pedra sobre pedra contra Liechtenstein. A equipe de Julen Lopetegui encontrou uma facilidade imensa para abrir sua goleada contra os anfitriões, diante da série de erros cometidos pela defesa adversária. Foram oito tentos, com o triunfo por 8 a 0 se transformando no placar mais elástico da história dos espanhóis como visitantes. E ainda que as fragilidades sejam inegáveis, o belo gol de falta de David Silva merece destaque.

Sergio Ramos, Álvaro Morata e Isco já tinham desenhado o atropelamento da Espanha com apenas 16 minutos, anotando os três primeiros gols da noite. O quarto demorou, saindo apenas aos 39. Mas veio no capricho: uma cobrança de falta na medida de David Silva, sem qualquer chance de defesa. Já no segundo tempo, o destaque foi Iago Aspas. Saindo do banco, o atacante do Celta fez dois gols e deu uma assistência para Morata. Por fim, a atuação infeliz de Liechtenstein acabou complementada por um gol contra de Max Göppel, após cruzamento de Gerard Deulofeu.

Com a vitória, a Espanha chega aos 22 pontos, líder absoluta do Grupo G. Três pontos atrás, a Itália torce para tropeços dos espanhóis contra Albânia e Israel, mas uma reviravolta parece inimaginável, até pelo ótimo saldo da equipe de Julen Lopetegui. Lidando bem com seu processo de renovação, a Roja vem forte.