Apenas seis jogadores que começaram jogando o clássico contra o Internacional foram titulares do Grêmio, na noite desta terça-feira, contra o Monagas, na Venezuela. De acordo com a estratégia já conhecida de Renato Gaúcho, os brasileiros entraram em campo com uma equipe mista, precisando de um empate para se classificar e de uma vitória para ficarem em boa posição na briga pela liderança do grupo. Conseguiram, graças a um final de jogo maluco. Nos últimos instantes, de pênalti, Jailson selou a vitória por 2 a 1. 

LEIA MAIS: Dá até para entender, mas é uma pena não ver Arthur na lista – um talento para várias Copas

A decisão de Renato não foi tão confortável. O Grêmio estava com a classificação encaminhada, mas, com a vitória do Cerro Porteño sobre o Defensor mais cedo, precisava dos três pontos para não arriscar a primeira colocação do grupo. A defesa foi a mesma do Grenal: Grohe, Madson, Geromel, Kannemann e Cortez. Além disso, Alisson começou os dois jogos no ataque.

E ficou apenas 10 minutos em campo na Venezuela. Saiu machucado. Entrou Maicosuel. Deu tempo de perder a chance mais clara do primeiro tempo. Quase na pequena área, encontrou o cruzamento de Madson, mas finalizou bem mal. Com Michel, Jailson, Ramiro e Cícero no meio-campo, o Grêmio dominou as ações porque tem qualidade técnica e porque ela falta em abundância ao adversário. Mas não criou muita coisa.

Em um contra-ataque puxado por Maicosuel, Thonny Anderson bateu rasteiro, mas mandou para fora. Ramiro sofreu falta na entrada da área, e Cícero bateu com categoria. Carimbou a trave. Pouco antes do intervalo, a única chance dos donos da casa: Romero dominou, deu um corte em Kannemann e bateu. Grohe espalmou para o lado. 

A partida foi retomada com a mesma dinâmica. Controle do Grêmio criando meias chances de marcar. Um chute de fora da área de Cícero deu permissão para Ramiro, alguns minutos depois, também arriscar. Um arremate rasteiro, sem muita força, mas certeiro: Grêmio 1 a 0. Quando foi preciso, Grohe apareceu novamente. Reyes cruzou da esquerda e Cádiz desviou da pequena área. O goleirão do Grêmio defendeu.

Os minutos finais foram uma loucura. Aos 46 do segundo tempo, Luís González cruzou da esquerda, Kannemann tentou o corte e mandou contra as próprias redes. Empate. Na saída de bola, o Grêmio foi à área do adversário, e Cícero foi atropelado por Trejo. Foram quase cinco minutos de paralisação para tratar o gremista. Jailson puxou a responsabilidade para si e cobrou o pênalti no canto. Marcou o gol da vitória e, imediatamente, o árbitro encerrou a partida. 

O Grêmio está classificado. Junta-se a Santos e Palmeiras, entre os brasileiros. Tem 11 pontos, um a mais que o Cerro Porteño e atua em casa, na última rodada, contra o Defensor, para confirmar a primeira posição. 

.

.