Diego (centro) marcou o gol do Atlético, e Neymar (esq.) marcou o gol do Barcelona: confronto duro na Liga dos Campeões (AP Photo/Emilio Morenatti)

Empate no Camp Nou só torna jogo de volta entre Barça e Atlético mais imprevisível

O equilíbrio entre Barcelona e Atlético de Madrid era previsível antes do jogo, mas o que se viu no Camp Nou nesta terça-feira evidencia o quanto os dois times se equivalem – não em talento, nem em estilo, mas em competitividade. O Atlético é coletivamente muito forte, com uma marcação intensa, compacta e eficiente. O Barcelona tem talentos raros e um estilo de jogo marcante, posse de bola característica, ainda que não tão eficiente como nos seus melhores dias. O Barcelona teve a bola, mas não teve espaço. O Atlético teve a sua tradicional força para marcar incansavelmente, mas se mantendo perigoso no campo de ataque. O resultado acabou sendo 1 a 1, em um jogo muito duro.

O imprevisível do confronto se dá porque os dois lados têm armas que podem ser letais em qualquer momento. Especialmente o Barcelona. Por isso mesmo, o Atlético teve a postura como se esperava: com a defesa recuada, esperando o Barcelona e tentando se armar para contra-ataques no espaço que tiver. Diego Costa pouco fez enquanto esteve em campo, por 30 minutos, antes de sair machucado. Deu lugar a Diego, o brasileiro, ex-Santos. Algo que se mostraria fundamental ao jogo, mas chegaremos lá. Aliás, antes mesmo dele sair, o zagueiro Piqué também tinha sido substituído por lesão, dando lugar a Bartra. Uma preocupação também para o lado catalão do confronto.

O primeiro tempo foi pobre em chances de gol. Os goleiros não precisaram intervir de forma muito efetiva. No segundo, o panorama mudou, especialmente porque Diego acertou um chute no ângulo de fora da área e surpreendeu o goleiro Pinto, que chegou atrasado e não conseguiu defender. Atlético 1 a 0.

O Barcelona, como se esperava, passou a ser ainda mais dominante na posse de bola e começou a ameaçar mais no campo de ataque. Foi então que Iniesta apareceu. Puxando para o centro, o meio-campista acabou sendo decisivo. Fez um passe primoroso para Neymar, surpreendendo a defesa do Atlético, e o brasileiro finalizou com eficiência para empatar o jogo.

O empate deixa o confronto completamente aberto. Claro que o empate foi melhor para o Atlético, que pode empatar por 0 a 0 em casa e classificar. É verdade. Mas o Barcelona vencer em Madri não seria de modo algum surpreendente, dada a qualidade do time. O Atlético precisará jogar tão bem quanto o jogo de ida, ou melhor, para garantir a classificação. Ao Barcelona, resta conseguir variar mais as jogadas para sair da marcação duríssima que o time de Simeone impôs. Tem tudo para ser um jogo eletrizante no estádio Vicente Calderón.

O que podemos dizer é que o Atlético já é um time histórico nesta temporada, independente dos resultados que tiver daqui para frente. São quatro confrontos do Atleti com o Barcelona nesta temporada e quatro empates. Nenhum dos dois venceu, quando se esperava, ao menos antes da temporada, que o Barcelona fosse favorito em todos os confrontos. Em todos os jogos, os Colchoneros fizeram  um jogo completamente igual com o adversário. Por isso mesmo, é completamente imprevisível prever o que acontecerá no próximo jogo. E por isso também que é um jogo imperdível.

Formações iniciais

Barcelona x Atletico de Madrid

Destaque do jogo

Courtois fez ao menos três grandes defesas na partida. Contra um time talentoso e com repertório variado, o goleiro belga do Atlético soube intervir de maneira decisiva para impedir o que poderia ser uma derrota.

Momento-chave

A contusão de Diego Costa é um momento-chave não só no jogo, mas no confronto. Sua saída permitiu a entrada de Diego, que marcou o gol na partida. Mas uma possível ausência do atacante no jogo de volta seria um baque para o Atlético, ainda que Diego possa novamente ser escalado.

Os gols

11’/2T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Diego carregou a bola e arriscou um chute de longe, surpreendendo o goleiro Pinto. Golaço do brasileiro no Camp Nou.

26’/2T: GOL DO BARCELONA! Em um passe sensacional de Iniesta, Neymar finalizou cruzado para empatar o jogo.

Curiosidade

Os dois autores dos gols, Diego, do Atlético, e Neymar, do Barcelona, são crias da categoria de base do Santos. Diego foi campeão brasileiro pelo Santos em 2002 e vice da Libertadores em 2003, antes de ir para o Porto. Neymar foi o craque do Peixe na Libertadores de 2011, além de vários campeonatos paulistas.

Ficha Técnica

Barcelona 1×1 Atlético de Madrid

Barcelona_escudoBarcelona
José Manuel Pinto; Daniel Alves, Gerard Piqué (Marc Bartra, 12’/1T), Javier Mascherano e Jordi Alba; Sergio Busquets, Xavi Hernández e Cesc Fàbregas (Alexis Sánchez, 23’/2T); Andrés Iniesta, Lionel Messi e Neymar. Técnico: Tata Martino

atletico de madrid escudoAtlético de Madrid
Thibaut Courtois; Juanfran, Diego Godín, Miranda e Filipe Luís; Koke, Tiago, Gabi e Arda Turan (Cristian Rodríguez, 32’/2T); David Villa (José Sosa, 25’/2T) e Diego Costa (Diego, 30’/1T). Técnico: Diego Simeone

Local: Estádio Camp Nou, em Barcelona (ESP)
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Gols: Neymar, 26’/2T (Barcelona), Diego, 11’/2T (Atlético de Madrid)
Cartões amarelos: Iniesta, Jordi Alba (Barcelona), Koke, Gabi, Arda Turan, Juanfran, Diego, José Sosa (Atlético de Madrid)
Cartões vermelhos: Nenhum