Só o fato de ter voltado ao clube em que começou, após 14 anos, já deixava Robin van Persie com um lugar especial no coração dos torcedores do Feyenoord. Prova disso é a torcida cantando seu nome, com a melodia de “Seven Nation Army” (White Stripes), a cada vez que ele começa seu aquecimento, para entrar nos minutos finais de cada partida, enquanto ainda não está em completa forma. Mas seria inútil que o atacante tivesse retornado à sua Roterdã natal se não fosse para provar alguma utilidade em campo.

Provou nesta quinta: no jogo que fechou a 22ª rodada do Campeonato Holandês, enfim Van Persie marcou o primeiro gol após o retorno ao Stadionclub, completando a vitória por 3 a 0 sobre o Groningen. Poderia até ter sido um gol “feio”, após um bate-rebate, que a torcida certamente celebraria alegre em De Kuip. Mas o atacante de 34 anos fez questão de justificar por que fez fama ao correr mundo. Aos 33 minutos do segundo tempo – havia apenas um minuto em campo, substituindo Jens Toornstra -, Van Persie dominou a bola na entrada da área, deu uma meia-lua no zagueiro Yoëll van Nieff e bateu colocado, no canto direito do goleiro Sergio Padt, completando a vitória. Era seu primeiro tento pelo Campeonato Holandês, após 13 anos e 358 dias.

Já é tarde para ajudar o Feyenoord na Eredivisie – mesmo que o triunfo tenha levado o time à quarta posição da liga, são 19 pontos de distância para o líder PSV. Ainda assim, o Stadionclub está nas semifinais da Copa da Holanda. E Van Persie mostrou: sim, terá utilidade para ser o líder técnico que a torcida espera (e quer) que ele seja.