Esta é a última chance para a Espanha sonhar com a Copa. Apesar de seu campeonato nacional estar repleto de craques e despertar a atenção de todo o planeta, o mesmo não se repete quando se fala na Fúria. Por isso, a partida deste sábado contra a Eslováquia, no Vicente Calderón, ganha ares de preocupação no país.

A última vez em que ficou de fora do Mundial foi em 74, quando o time foi eliminado pela Iugoslávia. Para não repetir o fracasso, Luís Aragonés terá força máxima à disposição. Porém, este é o problema da equipe. Na análise nome por nome de cada elemento do grupo, poucos podem ser considerados como grandes destaques.

Luís Aragonés provavelmente mandará a campo um ataque formado pela dupla Raúl e Fernando Torres. Reyes jogará um pouco mais atrás, com o meio-campo completado por Albelda, Xabi Alonso e Xavi Hernandez. Nos últimos dez jogos oficiais, a Espanha empatou cinco. No Vicente Calderón, a Fúria permanece invicta: em sete jogos, foram cinco vitórias e dois empates.

Na primeira vez em que disputará a repescagem, a Eslováquia terá poucos desfalques. Miroslav Karhan e Martin Skrtel se recuperaram de suas lesões e estão prontos para o desafio. O treinador Dusan Galis levou um susto com a contusão de Juraj Cobej, e por isso convocou às pressas Marian Keleman. O goleiro do Tenerife será o reserva de Contofalsky. Galis estuda a escalação de um meio-campo mais defensivo, formado por três volantes.

Leia também, sobre a repescagem para a Copa do Mundo:
Tensão marca reencontro de Uruguai e Austrália
Trinidad e Tobago e Bahrein fazem ´´duelo de pequenos´´ pela Copa
Nedved retorna para acabar com ´´amarelão´´ tcheco
Turquia enfrenta Suíça sem medo de ser visitante