O mercado de transferências do futebol brasileiro em 2014 começou em ritmo lento. Os acertos se aceleraram um pouco mais nos últimos dias, mas seguem longe de satisfazer a maioria dos torcedores. Um medalhão aqui, outro acolá, mas poucas transferências realmente surpreenderam nas semanas que se passaram desde o final do Campeonato Brasileiro. Hora de, quem tiver dinheiro em caixa, ser mais incisivo na mesa de negociações e partir para a montagem de elencos campeões.

Diante do momento, aproveitamos para apontar 20 jogadores brasileiros que estão no exterior e poderiam se encaixar nos clubes daqui em breve – se não antes dos estaduais, as portas devem continuar abertas até as primeiras rodadas do Brasileirão. Afinal, vale lembrar que o ano é de Copa do Mundo e as competições fora do país terminam antes do que o costumeiro, fazendo os clubes brasileiros esperar menos para a chegada de seus reforços de fora.

Em relação aos escolhidos, tentamos selecionar apenas aqueles com reais chances de retornar em breve. Nomes como Kaká e Diego, que já indicaram que a volta não será tão próxima, foram descartados. Assim como outros que até querem voltar, a exemplo de Cristian Baroni, mas que dificilmente serão liberados por serem protagonistas de seus clubes. Também foram deixados de lado medalhões que ‘só faltam assinar’, a exemplo de Bruno César, tido como praticamente certo no Palmeiras.

Fique de olho na lista, já que a maioria desses atletas está em fim de contrato e tem grandes chances de mudar de equipe em breve:

Júlio César – Queens Park Rangers
Goleiro, 34 anos

Felipão já disse que Júlio César será um de seus três goleiros na Copa do Mundo de 2014, independente do que se passar nos próximos meses. Ainda assim, é de interesse do camisa 1 manter seu ritmo de jogo, para que chegue ao ápice no Mundial. E não é no Queens Park Rangers que ele conseguirá isso. Seu primeiro jogo pelo clube na temporada só aconteceu neste final de semana. E não foi nada feliz, com a derrota por 4 a 0 para o Everton. Os interessados, porém, terão que dar algum agrado ao QPR para encerrar os dois anos de contrato que restam, além de bancar o alto salário do veterano.

img-15478-gomes-e-o-terceiro-goleiro-dos-spurs-atualmente

Gomes – Tottenham
Goleiro, 32 anos

Mais um ano em que Gomes fica longe até mesmo de ser a segunda opção para o gol do Tottenham. Embora tenha sofrido uma fratura na mão durante os dois primeiros meses da temporada, o arqueiro não fica nem no banco do time desde novembro – e não é a saída de André Villas-Boas que mudou seu status em White Hart Lane. Em 2012/13, aproveitou a pausa de inverno para respirar novos ares no Hoffenheim. Desta vez, não seria tão difícil assim liberá-lo a um clube brasileiro, já que seu contrato se encerra dentro de seis meses.

Felipe Mattioni – Espanyol
Lateral, 25 anos

Felipe Mattioni saiu ainda como promessa do Brasil, vendido ao Milan após estourar com o Grêmio. Não ganhou muitas chances na Itália, mas foi bem com o Mallorca, o que rendeu a venda ao Espanyol. O problema é que o defensor não tem jogado muito na Catalunha, com apenas duas aparições por La Liga até agora – em 2012/13, foram somente sete partidas em toda a temporada. Considerando a pouca idade e a carência de laterais direitos no futebol brasileiro atualmente, é uma opção viável, ainda que seu contrato só se encerre em 2015.

Fábio da Silva – Manchester United
Lateral, 23 anos

Rafael teve seu nome veiculado junto a alguns clubes brasileiros nos últimos meses, mas quem realmente tem chances de deixar Old Trafford é Fábio. Ao contrário de seu gêmeo, o lateral não goza de tanto prestígio com os Red Devils, longe de tomar a posição de titular. E nem nas chances que tem recebido ele vai agradando muito, como na expulsão recente contra o Swansea, pela Copa da Inglaterra. A promessa aproveitou mal o empréstimo ao QPR na última temporada e, com contrato até junho, pode ter as portas abertas para sua saída.

Hilton – Montpellier
Zagueiro, 36 anos

Um nome que não é tão lembrado no Brasil, mas muito respeitado na França. Hilton foi eleito para o time temporada da Ligue 1 em quatro ocasiões diferentes, além de contar no currículo com duas taças de campeão nacional. Ídolo do Montpellier, o defensor segue como peça importante no elenco, embora a fase vivida pela equipe não seja tão boa. Com contrato até o final da temporada, abre margem para que volte ao Brasil para pendurar as chuteiras. No início da carreira, defendeu o Paraná e a Chapecoense, clube que chegou à Série A neste ano e pelo qual Hilton não esconde seu carinho.

Italy Soccer Serie A

André Dias – Lazio
Zagueiro, 34 anos

Os tempos de André Dias na Lazio já foram mais confortáveis. Antes titular absoluto na defesa biancocelesti, o zagueiro perdeu espaço nessa temporada por contas de problemas no joelho. E as lesões podem dificultar sua renovação com os italianos, já que seu contrato se encerra já em junho. Há três anos e meio na Itália, o veterano possui trânsito no São Paulo e no Flamengo, principais clubes que defendeu no Brasil. Se a Lazio não quiser mantê-lo, dificilmente terá mercado em outro time renomado da Europa.

Paulão – Betis
Zagueiro, 31 anos

Desde que saiu do Gama, em 2006, Paulão conseguiu construir uma carreira estável na Europa. O zagueiro emendou boas passagens por Braga, Saint-Étienne e Betis, de onde é titular. O problema é que um episódio lamentável vivido em novembro pode ter aumentado a vontade do defensor em voltar ao Brasil. Ao ser expulso no clássico contra o Sevilla, o brasileiro sofreu ofensas racistas de seus próprios torcedores. Paulão seguiu jogando após cumprir a suspensão, mas, se optar por sair, sua decisão será bastante compreensível. Forte no jogo aéreo, seu contrato com os verdiblancos vai até junho de 2015.

Juninho – Tigres
Zagueiro, 31 anos

Ídolo do Botafogo, Juninho também tem conseguido conquistar a torcida do Tigres, há três anos e meio no clube. O zagueiro foi um dos protagonistas do time no último Torneio Apertura. Diante de sua estabilidade no México, talvez seja um pouco mais difícil convencer os auriazuis em antecipar o final de seu vínculo, que vai até junho. Ainda assim, é um reforço que agrega tanto na defesa quanto no ataque, já que suas famosas cobranças de falta seguem rendendo alguns gols na Liga MX.

Jucilei – Anzhi
Meio-campista, 25 anos

Mesmo classificado aos mata-matas da Liga Europa, o Anzhi segue firme no desmanche que tem tomado conta de seu elenco desde o início da temporada. A sangria em janeiro já começou, com a venda do centroavante Lacina Traoré ao Monaco. E Jucilei permanece no elenco como um dos últimos nomes badalados – tanto é que agora também porta a braçadeira de capitão. Seu contrato vai até o fim do ano, mas o agrado nem precisa ser tão grande quanto os € 10 milhões pelos quais foi vendido para convencer o time do Daguestão a conseguir dinheiro rápido.

Anderson e Chicharito comemoram o segundo gol do United (AFP PHOTO / PAUL ELLIS)

Anderson – Manchester United
Meio-campista, 25 anos

Um bom nome que, com negociadores perspicazes, os clubes brasileiros podem persuadir. Anderson já viveu bons momentos no Manchester United, mas as lesões e a falta de boas atuações nos últimos tempos minaram seu espaço. Nesta temporada, o meio-campista só jogou oito vezes pela equipe principal dos Red Devils. Embora tenha sido contratado por € 31,5 milhões em 2007, seu valor de mercado atual é de € 9 milhões, segundo o site Transfermarkt. Além de ter bala na agulha, os prováveis compradores também precisam ser mais convincentes que outros clubes europeus, onde o gaúcho segue com mercado – o Porto, seu ex-clube, certamente se contentaria com seu retorno.

Taddei – Roma
Meio-campista, 33 anos

Já são quase nove anos de Roma. Taddei saiu do Palmeiras pouco querido, mas construiu uma carreira de respeito na capital italiana, após passar também pelo Siena. O fato é que seu contrato se encerra em junho e as poucas atuações em 2013/14 abrem a possibilidade de sua saída – foram apenas sete jogos disputados pelo brasileiro, todos saindo do banco de reservas. Pela reputação que construiu, ainda pode se achar em clubes menores da Itália ou em outros centros como o Oriente Médio. De qualquer forma, a polivalência também é um trunfo que pode atrair alguns clubes brasileiros.

Marcinho – Qatar SC
Meio-campista, 29 anos

Após boas passagens por Atlético Mineiro e Flamengo, Marcinho atraiu os olhares do Qatar SC. E já se vão cinco anos e meio desde que o meia resolveu fazer seu pé de meia no Oriente Médio. O armador é um dos donos da equipe de Sebastião Lazaroni, sexta colocada no Campeonato Catariano. Contudo, depois de tanto tempo longe do Brasil, não surpreenderia se uma boa proposta o atraísse – os próprios atleticanos e flamenguistas se animariam com o reforço do meia, com ótima aptidão ofensiva, para a Libertadores.

Maicosuel, do "Braga"

Maicosuel – Udinese
Meio-campista, 27 anos

A passagem do Mago por Udine segue feita por altos e baixos. O armador vem sendo utilizado pelos bianconeri, mas apenas como uma peça recorrente no segundo tempo. A falta de espaço entre os titulares pode acelerar sua saída, mesmo que seu contrato perdure até 2017. Nesta temporada, foram apenas um gol e duas assistências em 16 partidas pela Udinese, pela Serie A e pela Liga Europa. Difícil é só compensar os italianos pelos € 5,3 milhões gastos para tirá-lo do Botafogo em 2012. Seu nome foi ligado ao Corinthians recentemente.

Leandro Domingues – Kashiwa Reysol
Meio-campista, 30 anos

Dono de boas passagens por Vitória e Cruzeiro, Leandro Domingues se transformou em um dos melhores jogadores do Campeonato Japonês. O meia não só levou o Kashiwa Reysol ao título em 2011, como também acabou eleito o MVP daquele ano. Em 2013, o brasileiro não foi tão imprescindível assim aos aurinegros, de fora por várias semanas ao enfrentar lesões. Recuperado, o veterano ainda tem bola para encadear boas atuações no futebol brasileiro.

Dudu – Dynamo Kiev
Meio-campista, 22 anos

Peça importante da seleção brasileira na conquista do Mundial Sub-20 de 2011, Dudu alçou sua transferência ao Dynamo Kiev graças a esse sucesso. Porém, em mais de dois anos na Ucrânia, o meia nunca justificou os € 5 milhões pagos ao Cruzeiro. Seu vínculo com o clube vai até 2016, mas uma boa conversa deve facilitar ao menos o empréstimo do jovem. Rápido e habilidoso, é uma boa opção para os lados do campo.

Ricardo Oliveira – Al Jazira
Atacante, 33 anos

Entre idas e vindas, Ricardo Oliveira já voltou do exterior ao Brasil em duas oportunidades. A última delas aconteceu em 2010, quando marcou sete gols em 15 jogos pelo São Paulo no Brasileirão. Desde então, o atacante fincou seu pé nos Emirados Árabes e permanece balançando as redes pelo Al Jazira. São cinco tentos nesta temporada, agora com a concorrência de Nelson Haedo Valdez e Abdelaziz Barrada pelo protagonismo no ataque. Considerando a quantidade de opções de Walter Zenga no elenco, a negociação do brasileiro pode ser facilitada.

Grafite deu show contra os atuais campeões nacionais

Grafite – Al Ahli
Atacante, 34 anos

Grafite soube usar bem seu nome. Depois de grandes campanhas com o Wolfsburg, que o levaram à Copa de 2010, o centroavante arranjou um bom contrato nos Emirados Árabes Unidos. O veterano continua marcando seus gols com frequência pelo Al Ahli, convencendo seus empregadores a manterem seus cofres cheios. Todavia, a idade do artilheiro indica que sua volta ao Brasil deve estar próxima. E os seus números ajudam a atrair interessados: são 10 gols em 13 jogos pelo Campeonato Emiratense só nesta temporada, 66 tentos em dois anos e meio com o clube.

Alan – Braga
Atacante, 34 anos

Alan viveu os melhores momentos da história do Braga. Fazia parte do elenco que chegou à final da Liga Europa e chegou a sonhar com título do Campeonato Português. Aos 34 anos, se aproxima do fim de seu vínculo com os bracarenses. Uma das principais fontes criativas do time, deverá receber propostas para ficar, mas a chance de mudar de ares após seis anos com os alvirrubros também pode atraí-lo. Aos 34 anos, já não tem grandes perspectivas para a carreira, mas o bom rendimento que se segue pesa a seu favor.

Túlio de Melo – Lille
Atacante, 28 anos

Sem nunca ter conquistado seu espaço, Túlio de Melo deixou o futebol brasileiro aos 19 anos, saído da base do Atlético Mineiro. Desde então, passou por Dinamarca e Itália, mas fez seu nome na França. Mais especificamente no Lille, com o qual foi campeão da Ligue 1 e liderou o time em boas campanhas. Embora os Dogues sigam bem nesta temporada, o centroavante tem sido relegado à reserva, com apenas seis jogos até o momento. O contrato vai até junho, mas a saída pode ser acelerada por quem queira um homem de frente com presença física.

Dentinho – Shakhtar Donetsk
Atacante, 24 anos

Nem no Shakhtar e nem no empréstimo recente ao Besiktas Dentinho se deu bem. O atacante foi levado pelos ucranianos como grande aposta, por € 7,5 milhões, mas os ínfimos quatro gols e 15 partidas como titular em dois anos e meio de Europa dizem muito sobre sua falta de produtividade. A desvalorização é crescente e, considerando que voltou a Donetsk nesse início de ano, onde tem bem mais concorrentes do que quando saiu, as negociações por um novo rumo deverão ser abertas pelos ucranianos.