A filha do tripulante Andrew Nari, do voo MH370, da Malaysia Airlines, queria torcer pelo Liverpool contra o Manchester United, como sempre fez, ao lado do seu pai, mas não pode. Ninguém sabe onde está o avião, desaparecido há 12 dias. Maira Elizabeth, de 17 anos, não teve o companheiro de todos os jogos para abraçar na comemoração dos gols que deram ao seu time a vitória por 3 a 0, em Old Trafford. Então, a adolescente mandou uma mensagem no Twitter.

“Papai, o Liverpool está vencendo. Venha para casa para ver o jogo. Você nunca perde um jogo, é a primeira vez”, escreveu. O Twitter oficial do clube inglês não demorou para ficar sabendo desse tuíte, retuitado quase seis mil vezes, e também mandou uma mensagem de apoio para a garota.

“Queremos apenas que você saiba que estamos pensando no seu pai e em todos os desaparecidos do voo #MH370. Seja forte. YNWA”, respondeu, com a sigla que significa You’ll Never Walk Alone, música que a torcida canta incessantemente em Anfield Road. E o diálogo prosseguiu: “Se meu pai vir isso, ele vai ficar tão feliz. Ele vai sorrir e dar risada. Eu posso imaginar o quão feliz ele ficaria. Meu pai é muito torcedor do Liverpool”, disse.

A mensagem do Liverpool não foi nada demais, e é difícil quantificar o quanto ela pode ter amenizado a dor da adolescente, mas é bom perceber como a relação de apoio entre torcedor clube, que costuma ser de uma via só, às vezes pode ser recíproca.