Enterrem de vez a ideia de que os americanos não ligam para futebol. Na noite desta quarta, Manchester City e Liverpool disputaram um amistoso no estádio do New York Yankees, e a partida de caráter apenas preparatório e comercial teve o maior público do local neste ano, superando qualquer jogo da MLB. Se isso, junto de tudo o que vem acontecendo desde a Copa do Mundo, não for sinal dos tempos suficiente para te convencer do momento especial pelo qual o futebol passa na terra em que é chamado de soccer, nada mais será.

VEJA TAMBÉM: Crescimento do futebol norte-americano passa por projeto incrível do Kansas City

Ao todo, quase 50 mil pessoas acompanharam o empate entre Manchester City e Liverpool, com disputa de pênaltis vencida pelos Reds. Mais precisamente, foram 49.653 assentos ocupados do Yankee Stadium, enquanto o maior público dos próprios Yankees na Major League Baseball em 2014 foi de 48.572 espectadores. Como se não bastasse essa “derrota presencial” do beisebol, o esporte ficou atrás do futebol também na televisão.

Ao mesmo tempo em que o Tottenham disputava um mero amistoso com o Chicago Fire, no último sábado, a MLB teve duas partidas em andamento: Washington Nationals x Cincinnati Reds e Cleveland Indians x Kansas City Royals, no Fox Sports 1. No total, os dois jogos de beisebol tiveram audiência de 110 mil telespectadores. Já a partida dos Spurs foi vista por 284 mil pessoas na ESPN 2, duas vezes mais que o combinado dos dois duelos da MLB.

Há uma série de senões a serem levados em conta no caso da TV, é verdade. O público analisado foi o de pessoas entre 18 e 49 anos, as equipes envolvidas nesses dois jogos de beisebol não tinham um grande apelo e o Fox Sports 1 é relativamente novo nos Estados Unidos (foi lançado em agosto do ano passado), enquanto a ESPN já está mais que consagrada. Ainda assim, não há como negar que a marca é impressionante e uma espécie de sintoma da ascensão do futebol no país, especialmente quando colocada ao lado da quebra de recorde que City e Liverpool tiveram no Yankee Stadium. Nunca houve tanto terreno para o futebol na terra do Tio Sam.