Quem jogou bola numa quadra de altura baixa, coberta por tela ou por zinco, seja num condomínio ou numa quadra de futebol society, já sabe da regra implícita: se a bola resvalar no teto, é jogo parado para recomeçar na lateral – em alguns casos, até falta para o time adversário. Pois bem: para a sorte do Querétaro, tal regra inexiste no futebol profissional. De outro modo, o time mexicano correria risco de perder a posse de bola, no 0 a 0 contra o Atlas, jogado no estádio Jalisco, em Guadalajara, nesta sexta, pela primeira rodada do torneio Apertura mexicano. Graças a uma jogada curiosa do goleiro brasileiro Tiago Volpi, desde 2014 nos Gallos Blancos, após a passagem pelo Figueirense.

Aconteceu aos 36 minutos do primeiro tempo: Tiago Volpi foi repor a bola no Jalisco, que conta com um telão gigante no alto, sobre o gramado. E a bola subiu tanto que… deu nisso aí embaixo.

 

Mas vale dizer: Tiago Volpi não se destacou na partida somente pelo lado pitoresco. O arqueiro brasileiro foi decisivo. Pela sorte, ao ver o Atlas mandar três bolas na trave. E pela capacidade própria, ao defender um pênalti de Juan Pablo Vigón, já ao 36 minutos do segundo tempo. Se apareceria normalmente pelo momento curioso, Tiago se tornou destaque na etapa final da partida em Guadalajara.