Varela empatou o jogo para Portugal (Foto: AP)

EUA 2×2 Portugal: empate ainda é bom para os americanos

A crônica

Esta crônica deveria estar falando sobre a eliminação portuguesa e o feito histórico de os Estados Unidos vencer duas partidas seguidas em Copas, não fosse o gol encontrado por Varela aos 50 minutos do segundo tempo para fechar o jogo em 2 a 2. Foi justamente dos pés do criticado e “baleado” Cristiano Ronaldo que a bola partiu para chegar à cabeça do atacante. Uma resposta àqueles que aproveitaram a oportunidade de atacar o melhor do mundo. O empate evitou a eliminação antecipada portuguesa, mas não tira o time da situação quase fatal em que está. Só outro milagre na última rodada, como o de hoje, leva Portugal às oitavas.

Logo em um de seus primeiros toques, Cristiano Ronaldo fez uma graça com a bola, talvez para deixar claro que estava bem, e não no sacrifício. Com o craque bem ou não, Portugal começou o jogo em um ritmo forte e logo aos cinco minutos conseguiu abrir o placar. Miguel Veloso tentou um cruzamento para a área, Geoff Cameron foi interceptar, mas acabou espanando a bola, que sobrou para Nani, livre, fazer 1 a 0.

Os Estados Unidos não se abateram pelo gol e começaram a partir para o ataque. A defesa portuguesa dava espaços, principalmente pelo lado de André Almeida, mas até os 30 minutos de jogo os americanos não haviam ameaçado de verdade o gol defendido por Beto, exceto em uma boa cobrança de falta de Dempsey, que mandou a bola por cima da meta, raspando o travessão. Aos 31 minutos, no entanto, Alejandro Bedoya decidiu arriscar de longe e mandou uma bomba de esquerda, passando rente à trave esquerda portuguesa.

As últimas boas chances do primeiro tempo foram de Portugal, que poderia ter ampliado para 2 a 0 se não tivesse pela frente um goleiro como Tim Howard. Aos 42 minutos, após pausa técnica para hidratação por causa do calor, Cristiano Ronaldo inverteu o jogo com precisão para Nani, que dominou e bateu cruzado, forte, para boa defesa de Howard. Dois minutos depois, novamente Nani levou perigo ao arqueiro. Um chute forte do jogador foi mal espalmado pelo americano, a bola bateu na trave e sobrou para Éder, que pegou mascado, mas conseguiu encobrir Howard. O goleiro, no entanto, se recuperou a tempo para fazer uma grande defesa, mandando para escanteio.

Precisando sair da derrota, os Estados Unidos voltou com uma postura mais ofensiva para a segunda etapa. Contando principalmente com uma ótima atuação de Fabian Johnson, a seleção americana passou a atacar muito mais Portugal, que havia sacado André Almeida da lateral esquerda e abriu uma brecha naquele canto. Primeiro, aos dez minutos, Johnson avançou à linha de fundo, atraiu o goleiro Beto e rolou para Bradley, dentro da área, finalizar forte. Ricardo Costa, o substituto de Pepe para o jogo, apareceu no meio do caminho para evitar o gol de forma fantástica.

A mudança de comportamento dos comandados de Klinsmann logo deram resultado: aos 19 minutos, em bola mal afastada pela zaga portuguesa, Jermaine Jones dominou na intermediária e bateu forte, colocado, no canto esquerdo de Beto, para empatar o jogo. Melhor em campo, a seleção americana chegou ao gol da virada menos de 20 minutos depois, com gol de barriga de Clint Dempsey, após cruzamento de Graham Zusi.

O tento parecia levar os americanos à vitória e os portugueses à eliminação antecipada, mas um gol inesperado de Varela, após cruzamento de Cristiano Ronaldo, aos 50 minutos do segundo tempo, empatou tudo em 2 a 2. O gol encontrado do nada manteve Portugal vivo na competição, ainda que se agarrando a uma corda prestes a estourar. Apesar do anti-clímax de deixar a derrota escapar dessa maneira, o empate ainda é um bom resultados para os americanos. Apenas uma combinação de resultados improvável pode classificar a Seleção das Quinas. Estados Unidos e Alemanha, que hoje vão se classificando, jogam entre si, com o empate classificando os dois. Paulo Bento e companhia precisarão de um milagre para ficar por mais tempo no Brasil. Um ainda maior que o de hoje.

FICHA TÉCNICA

Estados Unidos 2×1 Portugal

Estados Unidos

Estados Unidos EscudoTim Howard; Fabian Johnson, Geoff Cameron, Matt Besler e DaMarcus Beasley; Jermaine Jones, Kyle Beckerman, Alejandro Bedoya (DeAndre Yedlin, 27′/2T), Michael Bradley e Graham Zusi (Omar González, 46′/2T); Clint Dempsey (Chris Wondolowski, 42′/2T). Técnico: Jürgen Klinsmann

Portugal

Portugal-EscudoBeto; João Pereira, Ricardo Costa, Bruno Alves e André Almeida (William Carvalho, intervalo); João Moutinho, Miguel Veloso e Raul Meireles (Silvestre Varela, 24′/2T); Nani, Hélder Postiga (Éder, 16′/1T) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Paulo Bento

Local: Arena da Amazônia, em Manaus
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Gols: Nani, 5′/1T, Jones, 19′/2T, Dempsey, 36′/2T, e Silvestre Varela, 50′/2T
Cartões amarelos: Jones
Cartões vermelhos: nenhum

O cara

Silvestre Varela

Varela não fez nada demais nos pouco mais de 20 minutos que teve em campo, exceto pelo gol que evitou a eliminação de Portugal de forma antecipada na Copa do Mundo. O gol, após cruzamento de Cristiano Ronaldo, anotado no último lance da partida dá à Seleção das Quinas uma chance matemática e bastante improvável de classificação às oitavas, na última rodada.

Os gols

5’/1T: GOL DE PORTUGAL!

Geoff Cameron erra, e a bola sobra para Nani, sozinho, finalizar de dentro da área e abrir o placar para Portugal.

19’/2T: GOL DOS ESTADOS UNIDOS!

Defesa portuguesa afasta mal, Jermaine Jones pega a bola na intermediária e manda uma bomba colocada, no canto esquerdo de Beto, para empatar o jogo. Golaço!

36’/2T: GOL DOS ESTADOS UNIDOS!

Graham Zusi cruza para Clint Dempsey, que, em posição legal, reproduz o gol de barriga de Renato Gaúcho para dar a virada para os americanos!

50’/2T: GOL DE PORTUGAL!

No último lance do jogo, Cristiano Ronaldo cruza a bola para a área, e Varela se atira de cabeça para empatar novamente a partida!

A Tática

EUA Portugal Campinho

Escalações iniciais de Estados Unidos e Portugal

Klinsmann mudou o 4-4-2 do primeiro jogo para um 4-2-3-1. Altidore foi sacado do time, Dempsey entrou sozinho no ataque, e Bradley ganhou maior liberdade no meio de campo, como o principal armador. Portugal manteve o 4-3-3, com Miguel Veloso como o mais recuado no meio de campo, Cristiano Ronaldo na ponta esquerda, mas com liberdade. Nani na essência era o ponta direita, mas às vezes trocava de posição com Raul Meireles, que ia para aquela posição, enquanto o jogador do Manchester United reforçava a esquerda com Ronaldo. Hélder Postiga começou o o homem fixo no ataque, mas logo deixou o campo, e Éder passou a desempenhar a função.

A Estatística

1

Número de vitórias de Portugal nos últimos nove jogos de Copa do Mundo que disputou (contando com o de hoje). São quatro empates, quatro derrotas e apenas o triunfo sobre a Coreia do Norte, em 2010.