Por meio de seu advogado, Reiner Calmund, ex-dirigente do Bayer Leverkusen, negou qualquer envolvimento do clube em um suposto esquema de manipulação de resultados. a hipótese foi levantada no sábado pela procuradoria de Colônia, em um programa da emissora de tevê ZDF.

De acordo com as acusações, um ou mais jogos do Bayer Leverkusen em 2003 podem ter tido um arranjo no resultado. Na época, o time lutava para não cair para a segunda divisão. De acordo com o diário Süddeutsche Zeitung, três partidas fariam parte da relação destas suspeitas: as vitórias em casa sobre Armínia Bielefeld e 1860 Munique e fora contra o Nuremberg.

Em outra reportagem sobre o caso, o jornal Der Spiegel levantou a suspeita de que Calmund falou a respeito da manipulação de resultados para os dirigentes do clube. Segundo o diário, que se baseia em um documento de 12 páginas da procuradoria de Colônia, houve a participação de um agente de jogadores no esquema. Ele teria recebido chr(128) 580 mil. Além disso, os jogadores do 1860 Munique teriam recebido, na época, cerca de chr(128) 500 mil.

Em sua edição de sábado, a revista Focus afirma que autoridades de Munique investigam um possível esquema de apostas irregular em três jogos da atual temporada na Bundesliga, todos envolvendo o Nuremberg. Os confrontos suspeitos são contra Wolfsburg e Werder Bremen, fora de casa, e Armínia Bielefeld, em casa. A procuradoria de Munique confirmou que diversas propriedades na cidade e em Nuremberg foram revistadas como parte do processo de análise.