O repórter especial da Trivela, Mario Cesar Conde, obteve com exclusividade no final da noite desta quinta-feira, missiva recebida por Felipão em Teresópolis. Nela, Dona Lucia, aquela, revela que sua carta original não era bem a que Parreira leu, e faz as devidas correções. Leia abaixo:

“Professor Felipão, acabo de ver a coletiva dada pelo senhor. Assisti porque, desde o quarto gol da Alemanha não consegui ainda levantar do sofá. E olha que eu já tinha idade para assistir futebol em 1950, que dirá em 82. Mais uma vez vi diante da câmera um homem íntegro e corajoso – estava atrás do senhor e do Parreira. Fiquei muito triste ao constatar que o ser humano muitas vezes é de uma crueldade sem limites, e que mesmo assim o senhor o escalou com a 9.

Tive esse sentimento ao ouvir os jornalistas lhe perguntarem sobre a dívida do senhor com a nação brasileira. Tanta coisa pra perguntar e é isso que o cara pergunta! Também, se fosse perguntar algo decente o Rodrigo Paiva não deixava entrar na coletiva, né? E o senhor fazendo cara de quem estava sofrendo mais do que qualquer um ali com toda empáfia que lhe tem sido peculiar, deu uma resposta zoeira total. Parabéns.

O senhor é um grande homem e um ser humano ímpar – ninguém escala o Fred e mantém titular a Copa toda se não for por um gesto de extrema bondade. É claro professor que eu como os demais brasileiros gostaríamos de estar comemorando outro resultado, porém quem viu o time inteiro chorando antes do primeiro jogo e depois tomando sufoco de um time que tinha Giovanni dos Santos já tinha que estar preparado. Meu e-mail é só para agradecer a grande felicidade que o senhor e seu grupo proporcionaram para a nossa nação irmã, a Argentina. Bom trabalho nos próximos anos – longe do meu time, por favor.

Tenho certeza que o senhor comandará com extrema competência o 15 de Campo Bom se for convidado. Dizem que as mulheres não entendem de futebol, o que é uma idiotice, visto que não foi uma mulher que escalou desde o primeiro jogo o Fred, não foi uma mulher que entrou com o Bernard contra a Alemanha e nem foi uma mulher que levou o Maxwell pra Copa do Mundo. Portanto, envio um abraço com todo carinho para o senhor e toda sua equipe de assessores contratados pela Globo pra ter crachá de “otoridade”. Fique com Deus, mas entenda que nem ele fará o Fred marcar um gol contra a Holanda. Lembre-se que o sonho pode durar uma noite, mas alegria vem ao amanhecer para o Van Gaal a hora que ele vê que o goleiro ainda será o Julio Cesar.

Quero dizer com essa citação que tudo vai passar enquanto o David Luiz continuar deixando o miolo da zaga zoado pra subir ao ataque. Saiba que como eu, há várias pessoas que estão acompanhando essa seleção que tem o privilégio de ser comandada pelo senhor – todos os argentinos, colombianos e black blocks. Receba um abraço de uma brasileira anônima, que não conhece muito de futebol, mas que jamais escalaria o Bernard contra a Alemanha enquanto o Philippe Coutinho via a Copa pela TV.

Atenciosamente,

Sua amiga Lúcia”