Por Bruno Rodrigues (acompanhe também no Medium)

Para quem é fã de futebol e de leitura, a experiência de ler uma revista especializada no assunto e que tenha bom conteúdo é mais ou menos como assistir a uma grande partida. Consumimos cada linha de texto com a atenção de quem não tira o olho da bola, até que algum trecho nos cause uma sensação especial de graça ou emoção. É nesses grandes trechos das grandes matérias – ou até mesmo nas grandes fotos – que soltamos, por dentro, um grito de “gol” silencioso. Revistas de futebol que se dediquem à qualidade de seus conteúdos e a contar o futebol de maneira especial e de maneira menos imediatista têm esse poder.

Desde o ano passado venho observando algumas publicações e procurando entender a personalidade e o objetivo de algumas revistas de futebol pelo mundo. Com isso, decidi criar um mapa com os principais títulos, com destaque para publicações independentes, marcas que não dependem de grandes grupos editoriais. Há, sim, revistas que pertencem a grandes grupos de mídia, como a inglesa Four Four Two. Ela está no mapa não só por uma questão de tradição, mas sim por manter sua relevância no debate sobre o futebol atual. É o mesmo caso da argentina El Gráfico, revista quase centenária e de muita importância no cenário sul-americano.

Entre os títulos menos conhecidos do público brasileiro, há uma revista da Escócia, a Nutmeg, e até uma japonesa, a Shukyu, que disponibiliza conteúdo em inglês.

Do Brasil ao Japão, revistas para quem gosta de futebol. E de futebol impresso.

Nota do editor: Bruno Rodrigues já escreveu sobre revistas de futebol no Medium no Futebol para ler, ver e consumir. Leia por lá também.