A CBF anunciou na segunda-feira, dia 18, que passará a usar o árbitro de vídeo, chamado pela CBF de VAR. É o sistema VAR (Video Assistant Referee, do inglês), aprovado pela Fifa em 2016. De um dia para o outro, a CBF vai colocar em prática algo complexo sem o devido teste necessário. Nós escrevemos como é um problema fazer isso no meio do campeonato, como está sendo feito.

O VAR foi usado no Mundial de clubes de 2016 (com alguns problemas sérios) e na Copa das Confederações 2017 (já um pouco melhor). Nesta temporada, algumas das principais ligas do mundo também adotaram o sistema, notadamente a Bundesliga, a Serie A italiana e a Primeira Liga, de Portugal.

O curioso é que a CBF foi uma das primeiras a pedir autorização à Fifa para testar o árbitro de vídeo (VAR). Quanto teve a chance, porém, abriu mão de testar por ser muito caro.Diante de pressões após a última rodada do Campeonato Brasileiro, Marco Polo Del Nero, o presidente da CBF que sequer pode deixar o país por medo de ser preso pelo FBI, mandou que a Comissão de Arbitragem “desse um jeito” para que o sistema fosse usado imediatamente. Não por acaso, depois de uma reunião com Eurico Miranda, presidente do Vasco, prejudicado pela arbitragem no jogo de domingo contra o Corinthians.

Como muita gente ainda não parece saber como funciona o VAR, ou o VAR, resolvemos fazer um FAQ (Frequently Asked Questions, do inglês) com as principais dúvidas. Vamos lá:

FAQ DO ÁRBITRO DE VÍDEO
Quando o VAR foi aprovado pela Fifa?

Na reunião de junho de 2016 da International Football Association Board (IFAB), foi aprovado o uso do Árbitro de Vídeo em estado de teste a partir de agosto daquele ano. Diversas ligas se candidataram a usar o sistema, entre eles o Brasil, através da CBF.

Qualquer lance pode ser analisado pelo VAR?

Não. São quatro tipos de lances definidos pela Fifa como passíveis de ser revisados pelo Árbitro de Vídeo.

Que lances podem ser analisados pelo árbitro de vídeo?

São quatro os tipos de lances que são analisados pelo VAR, segundo a Fifa. São eles:

Gols: O VAR auxilia o árbitro a determinar se houve alguma infração ou irregularidade no gol. Como o jogo já estará parado, não há impacto no jogo.

Pênaltis: Ao função do VAR é garantir que não houve nenhum erro claro na atribuição (ou não atribuição) do pênalti.

Cartões vermelhos: O VAR irá se certificar que não houve erro claro na expulsão (ou não expulsão) do jogador.

Identidade errada: Caso o árbitro dê cartão amarelo ou expulse o jogador errado ou tem dúvidas sobre o jogador a ser punido. O VAR, assim, irá informar o jogador correto a ser punido, se é o caso.

Não há possibilidade do Árbitro de Vídeo ser utilizado em outros lances, porque iria contra a resolução da Fifa sobre as situações onde se pode usar o sistema.

Como o árbitro de vídeo é acionado?

Tanto o árbitro pode acionar o Árbitro de Vídeo quanto o contrário. Segundo Marcos Marinho, da Comissão de Arbitragem, normalmente será o árbitro de campo que aciona o Árbitro de Vídeo. O procedimento é o seguinte:

Passo 1: O incidente acontece. O árbitro informa o VAR, ou o VAR informa o árbitro que uma decisão ou incidente deve ser revisado.

Passo 2: Revisão e conselho do VAR. O vídeo é revisado pelo VAR, que aconselham o árbitro pelo sistema de comunicação informando o que viram e a sua recomendação.

Passo 3: A decisão é tomada. O árbitro pode decidir revisar ele mesmo o vídeo ao lado do campo antes de tomar a decisão ou  aceita a informação dos VAR e toma a ação ou decisão apropriada.

Quantos são os Árbitros de Vídeo em um jogo?

Nos testes feitos pela Fifa e na utilização que é feita na Bundesliga e na Serie A, são três profissionais na cabine de vídeo: dois árbitros de vídeo (normalmente árbitros ou ex-árbitros) e um assistente de vídeo (normalmente assistentes ou ex-assistentes, os famosos bandeirinhas).

Os times ou técnicos podem fazer desafios e pedir a utilização do VAR?

Não. O uso do Árbitro de Vídeo será limitado aos quatro tipos de lance citados acima e a aplicação depende da  arbitragem. Todos os lances de gol são revisados, por padrão, assim como expulsões e pênaltis. Os jogadores não podem pedir a utilização e em alguns lugares, como na Itália, a orientação dada aos clubes foi que se os jogadores pressionarem o árbitro durante o uso do VAR, serão advertidos com cartão amarelo.

Quanto tempo demora para o Árbitro de Vídeo tomar uma decisão?

Não há um tempo determinado, mas a ideia é que seja rápido, algo em torno de um minuto e meio, ou seja, 90 segundos. Na Alemanha, o VAR, por lá, foi acionado duas vezes em dois lances cruciais (um gol que tinha sido anulado por falta e outro que um pênalti foi apontado. Somadas, as duas intervenções não chegaram a dois minutos.

Na Itália, Milan e Udinese tiveram intervenções importantes que também não chegaram a dois minutos em cada. Mas é importante que haja treinamento dos profissionais e do procedimento para que isso funcione – algo que nós não temos ainda no Brasil. Tanto que no jogo teste, na final do Campeonato Pernambucano de 2017, a decisão demorou  mais de cinco minutos para ser tomada, atrasando o jogo.

Que torneios já usaram o Árbitro de Vídeo e onde ainda será usado?

Desde a aprovação, em junho de 2016, diversos campeonatos passaram a adotar o VAR como teste ou definitivo. Abaixo, veja a lista de testes e campeonatos que utilizam o sistema:

– USL, nos Estados Unidos (agosto de 2016);

– Amistoso entre Itália x França (1º de setembro de 2016);

– Amistoso entre Itália x Alemanha (18 de novembro de 2016);

– Mundial de Clubes 2016 (8 a 18 de dezembro de 2016);

– Amistoso entre França x Espanha (28 de março de 2017);

– A-League, na Austrália (a partir de 7 de abril de 2017);

– Mundial sub-20 2017 (20 de maio a 11 de junho de 2017);

– Copa das Confederações 2017 (17 de junho a 2 de julho de 2017);

– MLS, nos Estados Unidos (a partir de 2 de agosto de 2017);

– Serie A Italiana (temporada 2017/18);

– Campeonato Português (temporada 2017/18);

– Bundesliga (temporada 2017/18);

– Mundial de Clubes 2017 (6 a 16 de dezembro de 2017);

– Copa do Mundo 2018 (a confirmar).

Quantos testes foram feitos no Brasil?

A CBF afirma que foram feitos quatro testes no Brasil. Para se ter um comparativo, ligas como a Serie A e a Bundesliga fizeram diversos testes offline (com os Árbitros de Vídeo atuando anotando os casos que fariam a intervenção, mas sem comunicação com o árbitro principal). Com os testes e os estudos feitos por quase uma temporada inteira (de setembro a maio), estas ligas se sentiram seguras para adotar. No Brasil, não houve testes suficientes e nem análise sobre quais estádios podem ter o sistema – seria necessário ter feito essa análise antes.

Onde fica a cabine do árbitro de vídeo?

A opção é da própria liga. No caso da Fifa, os testes tinham uma cabine do lado de fora do estádio, como os caminhões de TV de transmissão. Na Alemanha, a cabine do Árbitro de Vídeo fica em um só lugar, em Colônia, com acesso a todos os ângulos de todos os jogos da rodada. No Brasil, isso, claro, não foi definido.

Quem são os árbitros que atuam como Árbitros de Vídeo?

Não há padronização nisso. A Bundesliga, por exemplo, pegou árbitros recentemente aposentados para atuarem nesse sentido. Na Conmebol, que utilizará o Árbitro de Vídeo a partir da se semifinais da Libertadores, o treinamento está sendo feito com árbitros em atividade – eis a razão, inclusive, que fez árbitros brasileiros serem treinados.

Por que a CBF não usa o VAR desde o início do Brasileirão 2017?

Por custos. Segundo a CBF, o custo de se usar o VAR em todos os jogos do Campeonato Brasileiro seria alto. A entidade optou por continuar os estudos desse tipo de arbitragem por vídeo e só implantar no Brasil em 2019. Até que veio a pressão pelo uso e uma decisão de marco Pólo Del Nero de colocar em uso “o mais rápido possível”, pressionando para que seja utilizado já na rodada do fim de semana.

Começar a usar VAR durante o Brasileirão 2017 pode levar clubes ao STJD?

O Regulamento Geral de Competições (RGC) da CBF, por incrível que pareça, já previa que a entidade poderia começar a usar o VAR durante qualquer um dos seus campeonatos. O RGC é o que norteia todos os campeonatos organizados pela CBF. Portanto, nenhum clube poderá reclamar por isso, já que estava previsto.

Um dos itens, porém, é controverso: o próprio RGC diz que a CBF pode usar o VAR em alguns jogos, sem utilizar em todas as partidas de uma mesma rodada. Isso pode causar reclamações (justas) de falta de isonomia que potencialmente podem levar a disputa ao famoso STJD.

Os clubes são favoráveis ao uso do Árbitro de Vídeo?

Segundo o Globoesporte.com, a maioria dos clubes se mostrou favorável ao uso do Árbitro de Vídeo no Campeonato Brasileiro. Segundo a reportagem do site, Atlético Paranaense, Coritiba, Ponte Preta, Santos e Vitória não se pronunciaram sobre o assunto; o Atlético Goianiense foi contra; os demais se disseram a favor, ainda que com ressalvas.

Quem fornece as imagens usadas pelo VAR?

Os testes feitos pela Fifa usam imagens da Hawk-Eye Innovations,empresa que já faz a chamada tecnologia na linha do gol (usada na Copa do Mundo de 2014 e em diversas ligas pelo mundo) e também nos torneios de tênis (ATP, WTA), vôlei (FIBV e CBV).

Para ficar no futebol, a empresa fornece seus serviços para a KNVB (Federação Holandesa de Futebol), Bundesliga, DFB (Federação Alemã de Futebol), Eredivisie, Premier League, Serie A, FA (Federação Inglesa) e Uefa.

No Brasil, o presidente da Comissão de Arbitragem, Marcos Marinho, afirmou que as imagens usadas serão da transmissão da TV, no caso, a Globo, detentora dos direitos na TV aberta, fechada e pay-per-view. A entidade não deixou claro como isso vai acontecer por aqui.

As imagens vistas pelo VAR são as mesmas da transmissão?

Não. Os VAR têm acesso a muito mais imagens do que as usadas nas transmissões de TV. Além disso, nos testes da Fifa e nas ligas que utilizam, como a Bundesliga, os árbitros podem aproximar a imagem ou usar diversos ângulos, mesmo aqueles descartados pelos diretores de TV. As imagens são sem os cortes da TV.

Quantos árbitros já foram treinados como VAR?

Segundo Pedro Ivo, do UOL, só quatro árbitros da CBF estão treinados para usar

Quanto custa o VAR em cada jogo?

Segundo Marcos Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, o custo estimado pela CBF há um ano era de R$ 30 mil por jogo.

Os VAR irão acabar com os erros de arbitragem?

Não. A regra do futebol tem muitos itens interpretativos e, por isso, sua aplicação continuará sendo subjetiva. O VAR tem como objetivo evitar os erros graves, como jogador sendo expulso por falta que outro cometeu; gols claramente impedidos sendo validados; gols claramente em posição legal sendo anulados; e por aí vai.

Assista nos vídeos abaixo um pouco de como funciona o que a Fifa chama de VAR, o Árbitro de Vídeo (VAR) da CBF:

JOGADORES E INFANTINO FALAM SOBRE O VAR:

VAR USADO EM MAIS LIGAS:

USO DO VAR NA SERIE A:

CBF ANUNCIA ÁRBITRO DE VÍDEO