Para um mero estreante no Campeonato Espanhol, o Girona faz uma temporada excepcional. Os catalães passam longe do rebaixamento e, mais do que isso, rondam a zona de classificação à Liga Europa. Já fizeram ótimas partidas contra os grandes, inclusive derrotando em casa o Real Madrid. E a visita ao Santiago Bernabéu, embora não tenha terminado em nova vitória, ao menos rende o orgulho aos alvirrubros. Encararam os merengues nos olhos e dificultaram o jogo em vários momentos. O problema foi mesmo parar Cristiano Ronaldo, em sua fase completamente arrasadora. Sem querer ficar atrás de Mohamed Salah ou Mauro Icardi, craque fez quatro gols e deu também uma assistência, fundamental ao triunfo por 6 a 3 dos madridistas. Nas últimas 11 partidas, são 21 gols e quatro assistências. Números absolutamente absurdos.

Para encarar o Girona, Zinedine Zidane seguiu realizando variações no time. Entrou no 4-4-2, com Lucas Vázquez e Marco Asensio nas pontas. E o jogo começou com a pressão do Real. Apesar de uma boa defesa de Keylor Navas, só dava os merengues no ataque. O goleiro Bono ia evitando o pior. Aos 11 minutos, contudo, Cristiano Ronaldo já deixou o seu primeiro. Toni Kroos rolou e o artilheiro não perdoou dentro da área. Tudo parecia indicar uma goleada, diante da pressão imposta pelos anfitriões.

No entanto, não demorou ao Real Madrid perder um pouco de fôlego. E o Girona cresceu com isso. Pouco a pouco, começou a criar chances no ataque. Já aos 29 minutos, arrancou o empate. Em cobrança de falta na linha de fundo, Álex Granell levantou e Christian Stuani desviou de cabeça. O susto acordou os merengues, que voltaram a martelar no ataque. O goleiro Bono fazia uma partida acima da média e conseguiu segurar a igualdade até o intervalo. O que não duraria muito, diante da fome de bola dos anfitriões na volta do intervalo.

Logo nos primeiros 19 minutos do segundo tempo, o Real Madrid marcou três gols. O primeiro veio aos dois, em ótima troca de passes, na qual Karim Benzema serviu Cristiano Ronaldo, que soltou o canudo. Aos 14, seria a vez do craque ser solidário e ajeitar a bola para Lucas Vázquez deixar o seu. O jovem, aliás, fazia mais uma satisfatória exibição, como se tornou praxe nas últimas semanas. E, depois de uma bola na trave de Nacho Fernández, teria mais CR7 aos 19. Benzema parou em Bono, mas o goleiro não faria milagre quando o português surgiu na sua frente.

Depois disso, houve certo relaxamento no Real Madrid. O Girona descontou em mais um cruzamento a Stuani, aos 22. E os visitantes pressionavam, com Keylor Navas trabalhando. As mudanças de Zidane, de qualquer maneira, surtiram efeito no ataque. Com ambos saindo do banco, Luka Modric deu um passe açucarado para Gareth Bale fazer o quinto aos 41. Juanpe descontou outra vez na bola alçada. Por fim, nos acréscimos Cristiano Ronaldo terminou de punir os visitantes, arrematando a segunda assistência açucarada de Toni Kroos.

Ao longo da noite, impressionou a precisão de ambos os ataques. Foram “apenas” 29 finalizações, 19 delas no alvo e nove que terminaram nas redes. Apesar de tudo, Bono e Keylor Navas foram fundamentais para evitar um placar ainda mais elástico,. E a capacidade de Cristiano Ronaldo, realmente, é o que mais impressiona. De seus 10 chutes, ele mandou 70% na meta adversária e converteu 40%. O craque, que começou La Liga em “ritmo lento”, já ultrapassa Luis Suárez na artilharia e chega aos 22 tentos, três a menos que Lionel Messi.

Ao Real Madrid, o resultado vale também na briga dentro do G-4. Com o Valencia voltando a embalar, é bom que os merengues não se descuidem, considerando que a quarta colocação leva às preliminares da Champions – o que é um problema mais pelo cansaço de jogos a mais no calendário do que pelo nível dos adversários. O time de Zinedine Zidane está em terceiro, um ponto à frente dos Ches e quatro atrás do Atlético de Madrid. Ao Girona, resta voltar para casa se lamentando, mas sabendo que fez um papel admirável. O time permanece em sétimo, com 43 pontos – o que, considerando o atual cenário, já valeria um lugar na próxima Liga Europa.