Após mais uma manifestação de racismo por parte dos torcedores, a federação italiana não ficou parada. A entidade anunciou nesta segunda que, como forma de protesto, as partidas desta terça e domingo, pela Copa da Itália e Série A, respectivamente, começarão com cinco minutos de atraso.

No domingo, durante a partida entre Messina e Internazionale, a torcida insultou o marfinense Zoro Kpolo. O jogador tentou interromper a partida, chamando a atenção dos árbitros para o que se passava nas arquibancadas. No momento, o nigeriano Martins entrava no campo, em substituição a Recoba.

“Recebi insultos em muitas partidas do campeonato, mas em minha própria casa eu não podia agüentar”, desabafou Kpolo. Além do atraso, os jogadores de cada equipe estenderão uma faixa no centro do gramado com a frase “Não ao racismo”.

A medida recebeu elogios de Sergio Campana, presidente da Associação Italiana de Jogadores. “Fico feliz porque a decisão da federação possa representar um sinal forte. Pedi ao Kpolo para que entrasse no nosso conselho, não só para demonstrar nossa solidariedade como também encontrarmos juntos outra alternativas”, declarou.