Sempre entre os jogadores mais comentados da Premier League (não que isso seja bom), Marouane Fellaini apareceu no noticiário jurídico nesta semana. O meio-campista está processando a New Balance, sua antiga fornecedora de chuteiras. A acusação? O belga afirma que a má qualidade dos produtos da empresa prejudicaram a sua carreira. Pede uma indenização de £2,1 milhões (equivalente a quase R$9 milhões) por “perda de prazer, inconveniência e impacto na performance”.

Em 2012/13, quando ainda defendia o Everton, Fellaini assinou contrato com a New Balance por quatro anos, no valor de £600 mil. Durante a temporada passada, já mudara de chuteiras, voltando a calçar Nike. Agora, a opção de seus advogados foi exigir da empresa um ressarcimento pelos alegados danos ao rendimento do meio-campista.

Segundo Fellaini, o roupeiro do Manchester United precisava rotineiramente vaporizar e esticar as chuteiras antes das partidas, por causa de sua baixa qualidade. Além disso, o meio-campista alega que comunicou a empresa sobre os problemas, sem ser atendido da maneira devida.

Do outro lado, a New Balance se defende. Afirma que o jogador elogiou as condições “perfeitas” do calçado e que até mesmo pediu um estoque extra de 12 pares. “Embora não possamos comentar o processo, a New Balance confirma que a companhia planeja se defender vigorosamente a si e sua excelência na fabricação de produtos há tantos anos. A New Balance está confiante de que agiu apropriadamente e é grata pelos serviços prestados pelo Senhor Fellaini”, apontou a companhia.