A Islândia ganhou manchetes pelo mundo em junho de 2016 quando a seleção do pequeno país chegou até as quartas de final da Eurocopa. Nas oitavas de final, eliminou a tradicional seleção da Inglaterra com uma vitória que foi muito celebrada. Mas muito mesmo, pelo jeito. O número de nascimentos explodiu nove meses depois do histórico resultado.

LEIA TAMBÉM:
– Sigurdsson: “Queremos repetir o que fizemos na Eurocopa”
– Descubra seu nome em islandês e se sinta parte da seleção mais legal da Euro
– Lagerbäck motivou islandeses contra a Inglaterra na Euro falando verdades: “São superestimados”

A informação não é oficial, mas de um médico que trabalha no Hospital Nacional. Ásgeir Pétur escreveu na sua conta no Twitter: “O dia estabeleceu um recorde no número de epidurais no turno maternidade neste fim de semana – nove meses depois da vitória por 2-1 sobre a Inglaterra :)”.  O registro foi feito pelo site Vísir.

A partida contra a Inglaterra foi no dia 27 de junho, ou seja, exatamente há nove meses. Antes desse jogo, a Islândia empatou com Portugal no dia 14 de junho e com a Hungria no dia 18, antes de vencer a Áustria no dia 22. Foi um mês mágico para os islandeses. E bem movimentado para os casais também, parece.

A Islândia tem 330 mil habitantes e nunca tinha participado de um grande torneio. Foi a primeira Eurocopa do país, que tinha batido na trave na chance de ir à Copa do Mundo de 2014, perdendo na repescagem para a Croácia. Em 2016, fez história eliminando a Inglaterra, campeã do mundo e (formalmente) criadora do futebol.  E a comemoração foi com estilo.

O fim de semana dos dias 25 de 26 de março registrou o recorde de usos de epidurais em hospitais na Islândia. Este é um anestésico administrado nos pacientes na medula espinhal, comum durante o parto. Parece que muita gente se empolgou para aumentar a dinastia e trazer mais islandeses ao mundo.

Que nome dos astros da seleção de futebol ficará famoso? Talvez o de Aaron Gunnarson, capitão do time? Ou talvez Kolbeinn Sightorsson, autor do gol contra a Inglaterra? Ou mesmo Gylfi Sigurdsson, o craque do time, que joga no Swansea? Bom, saberemos daqui a alguns anos.

VEJA TAMBÉM:
– [Vídeo] Torcida da Islândia recebeu seus heróis com o grito viking que conquistou a Europa
– Não foi a goleada que abaixou a cabeça do craque islandês na Euro: a sua torcida
– Ragnar Sigurdsson, o zagueiro da Islândia que parece não gostar muito de futebol