Sempre que há interferência externa nas federações de futebol, ou a aparência de uma, paira sobre os países em questão a ameaça de que a Fifa pode excluir a seleção de torneios oficiais. Como a Copa do Mundo. Mas a entidade geralmente reserva essa punição a afiliados menores, como o Kuwait. Não é maluca de impedir que um time como a Espanha, grande chamariz de faturamento, dispute o Mundial.

LEIA MAIS: Com presidente preso, polícia descobre que contas da Federação Espanhola foram maquiadas

Mas, de acordo com o El País, a Fifa enviou uma carta alertando contra as interferências do governo espanhol na federação do país e ameaçando com essa sanção, que poderia deixar a Espanha fora da Copa de 2018. Em contato com o jornal espanhol, a entidade confirmou a carta.

O presidente da Federação Espanhola, Ángel María Villar, há quase 29 anos no cargo, foi reeleito nas eleições do último mês de maio, mas está afastado, após ter sido preso e suspenso sob acusações de corrupção. Teria usado dinheiro da federação para assegurar sua reeleição. O que motivou a carta da Fifa foi a proposta do Conselho Superior de Esportes, órgão subordinado ao governo, de que o pleito de maio fosse repetido.

“Podemos confirmar que a Fifa enviou recentemente uma carta à Federação Espanhola mostrando sua preocupação pela situação que a atravessa a federação e lembrando que, de acordo com os Estatutos da Fifa, todas as federações devem administrar seus assuntos de maneira independente e se assegurar que não haja ingerências por parte de terceiros em assuntos internos. A Fifa está em contato com a Federação Espanhola e, nos próximos dias, enviará a Madri uma delegação conjunta da Fifa e da Uefa para observar e analisar a situação”, disse a Fifa, ao El País.

Tanto o Secretário de Esportes do governo, José Ramón Lete, quanto o presidente interino da Federação Espanhola, Juan Luis Larrea, negaram ao jornal AS que tenha havido ameaça de exclusão por parte da Fifa. Segundo eles, o interesse da entidade é se informar sobre a situação da federação. Larrea foi mais longe e esboçou até uma conspiração para colocar a Itália na Copa.

“Ninguém tirará a Espanha do Mundial. Isso é algo impossível e sequer foi mencionado. É o cúmulo dizer isso. Não acontecerá. O que pretendem? Tirar a Espanha do torneio para colocar a Itália? A Federação funciona normalmente. A seleção ganhou seu lugar em campo e nisso concordamos com a Fifa”, disse o chefe provisório do futebol espanhol.

A Fifa já ameaçou a Espanha com exclusão de torneios oficiais, em 2008, quando o governo de Rodríguez Zapatero permitiu a Villar realizar as eleições depois da data inicialmente estipulada por ordem ministerial.