À primeira vista, quer dizer, na primeira jogada, o Fifa Manager 06, da EA Sports, não só é bacaníssimo como dá pinta de ser mais legal que o quase imbatível CM/FM. À primeira vista, fique claro.

Para quem não conhece nenhuma das duas séries, são jogos de futebol, mas de estratégia futebolística. Não se joga no lugar do jogador, mas sim do ´manager´, aquele cara que, na Inglaterra, além de ser o técnico do time, compra e vende jogadores. Assim como na série CM/FM (Championship Manager, que mudou de nome para Football Manager), cuida-se do treino, da motivação, das conversas com a imprensa e com os jogadores e, sobretudo, de armar o time, comprando e vendendo atletas e colocando-os para jogar no melhor esquema.

O jogo é muito legal, a começar pelo ponto forte da maior parte dos games da EA: o visual é sensacional e utiliza-se escudos, nomes, tudo oficial. Você pode escolher a trilha sonora entre seus próprios MP3, outra coisa legal, que não tem nos concorrentes. A grande vantagem sobre o FM é que você vê o jogo como em um videogame tipo Fifa Soccer ou Winning Eleven, o que dá uma sensação de realidade maior. Quando o jogador leva um cartão, por exemplo, é bem realista. O problema é que isso é um filminho, ou seja, no oitavo cartão, ou antes, começa a se repetir, e aí a sensação de realismo vai para o espaço.

Outra coisa legal: o jogo te dá a característica de cada jogador, se é ´ladrão de bola´, se é ´bom passador´, ´jogador de área´, etc. E tem uma outra coisa que o concorrente não tem: além da forma física, que muda jogo a jogo, tem o ´nível aeróbico´ do jogador, ou seja, quem atua sempre está melhor do que quem não joga nunca. É legal, mas no meio de janeiro tem uns caras que ainda não estão em forma.

Mas o jogo tem alguns probleminhas. Um deles é que o ´robozinho´ que administra os outros times que não são o seu não é muito inteligente. Dessa forma, no jogo que comecei, no qual eu treinava o Tottenham, o Barcelona vende Samuel Eto´o para o Valencia antes de começar a temporada. Além disso, não é tão fácil fazer proposta por um jogador.

Outro probleminha: quando se assiste ao jogo em velocidade acelerada, os efeitos sonoros precedem a jogada. Quer dizer, antes de acontecer o gol você já sabe que ele vai sair, porque a torcida já comemorou. Mal comparando, é como ver um VT de jogo de futebol em que a torcida grita gol quando o atacante está no meio-campo.

Mais um: no campeonato que comecei, o Tottenham, meu time, vai ser campeão com muita folga, o que está bastante distante da realidade. Paradoxalmente, o Chelsea, que vendeu antes do início do campeonato Arjen Robben para o Liverpool, é apenas o sexto colocado. E é aí que a porca torce o rabo.

Depois de um semana jogando, voltei para o meu velho FM 2005. O Fifa Manager é legal, visualmente dá de 10 a 0 no FM, mas o jogador se sente ´enganado´. Você não sente que seus acertos e erros fazem alguma diferença, como no jogo da Sega. O FM tem duas enormes vantagens: é muito mais imprevisível, e você ´sente´ muito mais que diferença faz tomar uma ou outra decisão.

Além disso, no jogo da EA tem ´coisa demais´ que dá para o jogador fazer, e fica-se com a sensação de que a maioria não muda nada. Mesmo assim, se você não for optar por um dos dois, já que o FM nem mesmo é vendido no Brasil, o Fifa Manager é uma boa compra. Comparando com as versões anteriores, então, nem se fala. Uma outra vantagem que eu ia me esquecendo: não ´pesa´ na memória do micro. Isso faz diferença.