Mudar a Copa do Mundo do tradicional período em que ela é realizado, em junho e julho, é um problema tão sério que a Fifa não parece disposta a mexer agora. Em anúncio feito na Inglaterra, o chefe da força-tarefa que analisa a possibilidade de fazer a Copa em um outro período do ano, xeique Salman Bin Ibrahim Al Khalifa, disse que a decisão só será tomada no primeiro trimestre de 2015, não mais no final de 2014, como antes. A explicação não foi dada, mas não é difícil entender. A Fifa não tem uma solução para esse que é um grande problema.

Leia mais
>>> As implicações políticas da Copa de 2022 no inverno
>>> Denúncias da Anistia Internacional no Catar constrangem Fifa
>>> Inspetor colocou Catar como “alto risco” para 2022, mas Fifa ignorou

“Há muitos parceiros que precisamos sentar, conversar e encontrar a melhor solução e eu tenho certeza que esta decisão não será tomada antes do primeiro trimestre de 2015”, disse Salman, que é do Barein e, mais do que isso, é presidente da Confederação de Futebol da Ásia (AFC). “A decisão é olhar as possibilidades de momento, enquanto falamos, a data ainda é junho e julho, mas o foco da força-tarefa é olhar para as outras opções e suas preocupações que alguns devem ter”, afirmou ainda o dirigente.

A possibilidade da Copa deixar o Catar é rechaçada pelo presidente da AFC. “Nossa posição é clara. O Catar ganhou a Copa, ele deveria fazê-la. Foi dada com total conhecimento das condições. O caderno de candidatura continha como eles lidariam com essas condições e qual é a situação atual. A campanha inteira foi sobre como lidar com o calor no verão”, justificou Salman.

O dirigente estava no Barein para assinar um acordo de cooperação com a Premier League. Será necessário o apoio de ligas pesadas como a inglesa para qualquer mudança. Por isso, o apoio será fundamental. E dificilmente as ligas aceitarão mudar o período da Copa do fim para o meio da temporada. Esse é um dos nós dessa questão. “Se alguma coisa irá mudar, todo que eu posso dizer é que isso é complicado e complexo, todos os fatores precisam ser olhados e pesados, podemos nos acalmar e olhar para isso apropriadamente?”, declarou ainda o dirigente do Barein.

A questão ainda terá muitos capítulos pela frente.


5 respostas para “Fifa segue pisando em ovos sobre a questão da Copa do Mundo do Catar”

  1. Luiz Souza disse:

    As ligas só mudam o calendário se o Catar + FIFA derem um caminhão de dinheiro que recompense as perdas e problemas de alteração das datas.

    Os clubes ingleses ganham muito nos Boxing Days e isso seria perdido em uma temporada no minimo.

    O que pode se dizer é que isso não será de graça !

  2. Giovani L. Montenegro disse:

    Há algum tempo atrás, Platini que é o atual presidente da UEFA fez declarações sobre possível mudança do calendário na Europa, iniciando-se em janeiro e terminando em dezembro, como é aqui. Dificilmente os clubes irão concordar, mas uma coisa é certa: não há como fazer uma Copa humanamente em pleno Verão Catarense, não dá! E não é só questão da temperatura ambiente no estádio, e sim vários outros fatores em que envolvem o deslocamento das pessoas com algum conforto pelas cidades do país.

    • Fabrízio Michelon disse:

      Pois é, não seria absurdo a Europa mudar seu calendário, pois há vários países com inverno rigoroso e ai acontece adiamento de partidas, bagunçando o calendário. A Inglaterra é a que mais sofre com isso. Aliás, o calendário inglês é um caos. Volta e meia tem rodada do campeonato em meio a copa ou competição europeia. Duas copas é desnecessário ao meu ver.

  3. Fabito Moino disse:

    Se a FIFA teve incontáveis problemas nas realizações das Copas da África do Sul e do Brasil, talvez o retorno financeiro do Catar como sede também não compense os mais incontáveis ainda problemas que virão de todas as partes: clubes, atletas, federações e torcedores. Mais um tiro no pé. E cada vez mais a FIFA maltrata seu principal produto, que além da perda da qualidade de jogo com o passar das últimas edições (o que não é notado pela maioria das pessoas) vai cedendo espaço e dinheiro para outros torneios de futebol de nível melhor (como a Copa dos Campeões). A Austrália seria uma sede ótima para a Copa de 22.

    • Fabrízio Michelon disse:

      A má qualidade se passa pela fragilidade das equipes que se classificam. Em 2010 tivemos Argélia, Eslovênia, Nova Zelândia, Honduras, Grécia entre outros timecos muitas vezes até no mesmo grupo. Em 2006 foi aquele monte de país africano com time ruim como Togo e Angola.

      Mas eu creio que não role o evento em país como a Austrália por causa dos desmandos da FIFA.

Deixe uma resposta